Arquivo do mês: março 2009

“AULAS DE BALLET CLÁSSICO ADULTO COM A TIA KÁ RIBEIRO”


Queridos, desculpe interromper as histórias, mas queria muito divulgar o novo local onde começo hoje a dar aulas!

Endereço: Alameda Sarutaiá, nº 113-B – Jardins

Telefone: (11) 3884.4430

 

  • BALLET ADULTO INICIANTE para todas aquelas que desejam voltar (há muitos anos paradas, mesmo que tenham feito só quando eram muito pequenas), para todas que NUNCA fizeram, mas SEMPRE sonharam, não precisa ter conhecimento anterior da técnica clássica.

Para aquelas que desejam aprimorar os passos básicos com limpeza e precisão de movimentos, é uma aula muito interessante.

DURAÇÃO: 1H30MIN – com o objetivo de trabalharmos: alongamento e aquecimento, aprendizado da tecnica clássica com exercicios de barra e centro e nomenclatura. 

METODOLOGIA: as aulas são montadas a partir da metodologia VAGANOVA, as aulas tentem ao trabalho postural, de limpeza tecnica, decomposição dos passos e movimentos com imediata definição da dinâmica do mesmo, objetivo, tempo musical, posisão de cabeças e braços.

OU seja, além da tecnica clássica o adulto apoiando seus estudos no metodo Vaganova, trabalhará sua postura e movimentação, podendo aplicar com mais facilidade no seu cotidiano!

HORÁRIO DAS AULAS:

TERÇAS E QUINTAS-FEIRAS – DAS 19H ÀS 20H30

“PROFESSORA: Karen RIbeiro”

  • BALLET ADULTO INTERMEDIÁRIO: para bailarinas que já tem conhecimento da tecnica clássica (a partir do 4º grau +-). Aulas completas, com iniciação coreográfica e técnica em pontas.

Duração: 1h30

HORÁRIO:

SEXTAS-FEIRAS DAS 19H ÀS 20H30

“PROFESSORA: Karen Ribeiro”

 

Estou esperando por todos! Vamos brilhar ainda mais neste ano de 2009!!!

UM sabor do que foi o fim do ano passado, pois com certeza ficou com gosto de quero mais, que faremos ainda melhor este ano!!!

 

"Amores no Samba"

"Amores no Samba"

"Arte Imperial" - Ballet Intermediário

"Arte Imperial" - Ballet Intermediário

 

"Arte Imperial"

"Arte Imperial"

"Arte Imperial"

"Arte Imperial"

 

"Amores Brasileiros" - Karen Ribeiro e Fábio Santos

"Amores Brasileiros" - Karen Ribeiro e Fábio Santos

 

"Amores no Samba" - Karen RIbeiro

"Amores no Samba" - Karen RIbeiro

"Minuetto di Verona" - BALLET ADULTO INICIANTE

"Minuetto di Verona" - BALLET ADULTO INICIANTE

ENTREM NO ORKUT QUE LÁ TEM MUITO MAIS!!!
BEIJÃO E ATÉ MAIS TARDE!!! – COMEÇA HOJE!!!
Anúncios

33 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Ela Começou ADULTA!!! Com vocês, no palco: MARCELLE!!!


Olá Bailarinas e bailarinos!

Levamos ao longo de nossa vida muitos estigmas explicitos e implícitos: gorda demais, baixa demais, torta demais, bonita demais, feia demais, alta demais, magra demais, loira demais, morena demais, inteligente demais, burra, lenta, rápida, submissa, autoritária, calada, falante… defeitos que veem em nós, defeito que pomos em nós, até qdo amamos, quando não amamos… e quem melhor que nós os adultos para conseguirmos em algum momento expor tudo isso de uma forma revolucionária…

 

Mesmo que essa forma seja revolucionária apenas para nós, buscando realizar sonhos, correndo atrás de desejos…

 

Só digo que superar nossos próprios estigmas é nosso maior desafio, transforma-los em algo bom, em uma conquista diária e de grande satisfação…

 

No palco: MARCELLE!!! – DESIGNER DE MODA, BAILARINA E PIANISTA…  

“Sempre fui uma criança gordinha…não obesa, tinha (tenho ainda) um rosto redondo que me rendeu o apelido de “cara de lua cheia”. Meu biotipo foi minha cruz na infância, as crianças me detonavam com apelidos, me excluíam das bricadeiras da escola e eu boba, voltava pra casa chorando.
Recordo de um episódio em que a professora distribuía os pares da festa junina…o garoto que ela selecionou pra dançar comigo era o “bonitinho popular” da turma. Eu bem me lembro da cara de desespero dele ao saber que ía dançar com a rechonchuda! Na primeira oportunidade ele chamou a professora e pediu pra dançar com a menina que estava na outra ponta! Assim que a professora autorizou, ele foi correndo, todo apressado como se estivesse fugindo de mim…imagina como eu me senti?
Tinha apenas 6 anos, e já me achava uma aberração, piorou tudo depois deste episódio! A menina pra quem ele correu não era bonita, era chata e briguenta, mas era magra, magricela…
Pra completar, sobrou o aluno novo – esse sim não era cheinho, era obeso mesmo! e a professora o colocou como meu par. Foi o suficiente pra ouvir um coro de risadas que ecoava pátio a fora…as crianças diziam: “olha! O gordo com a gorda, deu certinho”, mas quem mais se divertiu com a situação foi o “bonitinho popular” que não economizou chacotas. Pra mim, foi a pior humilhação!
Eu tinha muiiita vontade de entrar pro ballet, sentia que tinha alguma habilidade principalmente com relação à flexibilidade. Enquanto criança, assisti algumas aulas, até encarei uma aulinha no municipal de Santos…mas nunca me permiti matricular em um curso regular por achar que estava fora do padrão, e que por isso não tinha capacidade. Por vezes pedia pra minha mãe e minha vó me levarem pra assistir aulas de ballet e, mesmo com elas insistindo pra que eu participasse da aula, eu ficava só olhando, morrendo de vontade, com um nó na garganta…mas continuava me achando imensa, diferente e ridícula (sim, eu era uma criança e já pensava dessa forma).
Cresci, emagreci, engordei de novo…e um dia olhando minhas fotos de infância percebi o quanto eu era tola! nunca fui magricela, mas também não era imensa, estava longe de ser uma criança obesa!
Pensei quanto tempo eu perdi por causa da opinião desconstrutiva dos outros! e finalmente minha ficha caiu!
Ano passado, aos 21 anos, decidi entrar no ballet! fiz somente um bimestre pra experimentar…e amei (não podia dar outra!!!) as aulas me ajudaram a enxugar 6 quilos, mas ainda estou 10 quilos acima do meu peso ideal.
Este ano me matriculei pra valer, tenho dificuldades pois peguei uma turma mais experiente, o peso às vezes me limita…porém, aprendi que minha limitação pode ser superada, e o que vem dos outros não me afeta mais!
Não tenho aquele pescoço comprido, ombros estreitos, nem colo de pé…estou longe do biotipo perfeito de uma bailarina, mas recebi elogios sobre minha linha e meu alongamento. Ainda no início desta semana durante uma aula experimental em outra academia o professor disse que eu tenho pernas bonitas, e repetiu o elogio no fim da aula! Sei que tenho uma postura legal, meus movimentos são delicados…são coisas que estavam adormecidas dentro de mim, que eu fiz questão de esconder com medo de parecer ridícula.
Marcelle… estamos apenas esperando sua foto de bailarina!!!!
O que eu acho mais legal é que não precisei de curso pra aprender estas coisas, é como se eu descobrisse uma pequena aptão! Algo que nasceu comigo, características que muitas magrinhas por aí não conseguem demonstrar.

É gratificante demais pensar que aprendi tanta coisa sem ter feito um curso pra valer, só assistindo e babando naquelas aulas! Vou continuar no meu curso, vou emagrecer (até mesmo pela minha saúde!) e vocês ainda terão notícias no dia em que eu subir na ponta! =D

Nunca deixem que a opinão dos outros as desanimem, façam o quiserem fazer em PRIMEIRO LUGAR PARA SI MESMAS!!! Ninguém merece nossas lágrimas, não vale a pena desistir de nossos sonhos por conta do que os outros pensam ou deixam de pensar. As pessoas não se aproximam de quem não tem amor próprio…Se você se ama, e confia em si, automaticamente o mundo lhe retribuirá com coisas boas!!!!”

MARCELLE E SUA BELEZA!

MARCELLE E SUA BELEZA!

OBRIGADA MARCELLE!!!

 

BEIJOKAS A TODOS, TIA KÁ!

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Patrícia Bertolini… ela voltou porque…!


É incrível como conhecemos pessoas especiais em nossa vida…

Acredito que todo aquele que dança de verdade, dança por amor, é uma pessoa maravilhosa, de alma repleta, por mais defeitos que possamos ter, mas somos fruto do amor, ainda mais para expressarmos através de arte tão difícil e sublime a história da humanidade, histórias de amor, de entrega, de paixão, de submissão, de tradições…

Aquele que dança o ballet clássico por amor (existem aqueles que o fazem por vaidade, por dinheiro, por físico…), expressam uma alegria e uma plenitude, que mesmo em uma comunidade virtual parecem de carne e osso… Minahs amigas virtuais, que a cada dia que passam se tornam mais próximas e mais especiais ainda nos contam histórias de superação de vida.

O retorno a uma arte tão fina e requintada muitas evzes dita de futil ou superflua, faz com que tomemos mais uma vez rédeas de nossas vidas.

Ser a mulher que busca seus sonhos, sonhos que podem ter nascido lá na nossa infancia e porque não!, ou mesmo terem desabrochado hoje aos vamos supor 50 anos. Isso nos transforma na mulher forte que somos.

E na barra, no centro, na meia ou na ponta expressamos e transformamos nossa alma, transformamamos nossos problemas em obstáculos simples de serem transpassados, mesmo que através de um grand jetè, mas às vezes nem percebemos que o transpusemos por um simples glissade ou assemblè… ou vai que apenas estávamos pisando na ponta da ‘cauda’ de uma ‘anaconda’ (homenagem ao perfil que nossa amiga Simone fez às verdadeiras anacondas, rs) e um simples saltinho de primeira resolve.

rs.

DE volta ao ballet clássico = de volta à vida, de volta aos bons sonhos! Dando-nos o valor que merecemos!

E com vocês: PATRÍCIA BERTOLINI!!!

“Voltei porque…

Entrei no ballet a primeira vez aos 7anos, porque minha irmã precisa fazer exercicios (ela tinha indicação médica). Então minha familia acabou me colocando por eu ser apenas a irmã e não fazer diferença.
Só que gostei tanto, que logo de cara a professora falou “que pé lindo tens futuro”. Quando falou isto amei demais…decorava todos os passos nomes e etc. Só que minha irmã não gostou tanto, a grana do meu pai faltou saímos as duas, e ninguém me perguntou, se eu gostava ou não. Fiquei muito triste, fiz só aquele ano e dancei (a escola era em São Caetano chamava-se Sandra Amaral).
Alguns anos depois(já com 13 anos) fiquei sabendo que na minha cidade(São Caetano do Sul), iam ter uns testes para escola gratuita da cidade, fui lá sozinha me inscrevi e fiz o teste….foi um horror era apenas para baby e não me falaram nada, mas minha vontade era tanta que nem me importei com meu tamanhão, fiz o teste e é claro que não passei, pois nesta cidade precisava de um apadrinhamento(vereador amigo) e aquelas vagas já estavam garantidas. Murchei de novo…Então o sonho ficou, ficou na minha cabeça por anos e anos até que minha filhinha de 3 anos viu aulas de ballet e quis fazer(não forcei muito mais fiquei super feliz que ela tinha essa vontade, gostou e ficou) a professora era tão legal e aberta a propostas que falei” Por que vc não abre uma turma pra adultos?”, e ela disse” ótimo to precisando de grana mesmo”, eu ” olha adulto é ponta firme, se entra e gosta não sai mais, dinheiro certo”, nisto eu no alto dos meu 34 anos voltei e ela reavivou a minha vontade de infancia falando exatamente o que eu queria ouvir (que colo de pé lindo, que pé bom).
Hoje faço ballet porque é um sonho de infancia e tem mais tive um problema sério no cerebro (uma inflamação cerebral, que hoje está adormecida, graças a Deus), e também aconselhada por um médico que me falou ” Você tem que se alongar, fazer exercicios, ter hobbies, qualidade de vida, etc) pra nunca mais seu cérebro inflamar”, bom nem preciso falar que o ballet me traz tudo isto…”
Patrícia Bertolini - em cena

Patrícia Bertolini - em cena

“Saúde” – by Patrícia Bertolini:

Qualidade de vida, é meu hobbie. Alongamento é meu sonho de infancia, hoje também como indicação médica. Fui para o 3 ano, e apesar de super fora do peso, nada tira minha vontade de dançar. Preciso melhorar muito, e essa ano minha meta e da minha professora é darmos pirouttes. Vamos ver se consigo, porque me dá um pouquinho de enjoo. Ballet é sonho de menina e saúde. Amo essa comunidade. beijos e muito movimento pra todas. “
Patricia Bertolini - 2008

Patricia Bertolini - 2008

Obrigada Patrícia!!!
Um super Beijo, Ká Ribeiro

7 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Porque Voltei?! OU… Porque comecei?!


Cada dia da semana vou dedicara a uma bailarina adulta que conheci seja pessoalmente ou seja através de uma comunidade linda do orkut: Ballet Adulto.

As histórias de cada uma de nós com seu brilho particular pois levam dentro de si a força de ir em frente, e jamais desistir de seus sonhos!

E como diria William Shakespeare: Sonho que se sonha junto vira realidade!!!

Hoje o post é dedicado a Elizabeth!

A Beth é casada, tem  51 anos, mora no ABC e sempre adorou ballet, desde pequena, mas na época que tinha idade p/ fazer – vou corrigir, quando era criança/adolescente, seu pai não tinha condiçoes para pagar, então não pode, mas este ano ale conseguiu voltar as aulas que ela adoro. Está no 1º ano, mas sempre acredita que: “devagar eu chego lá”.
Como diz o ditado “antes tarde do que nunca”, né e tbm acho que nunca é tarde pp/ fazermos o que gostamos, se estamos felizes,não importa oqueos outros pensem. bjs a todas

Sua fala:

“Não me importo c/ o que os outros posam dizer, eu fiz ballet o ano retrasado, dancei na ponta, apesar de achar que ainda era cedo, mudei de escola, no ano passado, em abril, parei e este ano voltei, minha prof. é brava, eu não tenho meia ponta alta nem colo de pé, e ela manda eu fazer meia pta mais alta, na minha turma tem 3 e um menino de 14 anos, mas tenho mto alongamento, pois sempre fiz mta ginastica, natação, etc. e fço dança do vente há 2 anos…bom vou ter que fazer mto exercício ´p/ melhorar a meia ponta e o plie, rssr, mas vou conseguir, pq não desisto do que quero nunca. bjs “

Beth em sua apresentação de Dança do Ventre em 2008!

Beth em sua apresentação de Dança do Ventre em 2008!

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Bem Vindos!


Olá Queridas Bailarinas e Bailarinos!!!

Sempre que alguém sabe que dou aulas para adultos, me perguntam se é possível começar AGORA, sem nunca ter feito ballet antes.

Mulheres e homens de 20, 30, 40 e até 50 anos que semre alimentaram a vontade de dançar o ballet clássico, podem sim começar. Antes tarde do que nunca!

O ballet clássico é um estilo de vida e uma arte.

Uma atividade física completa (já testado em vários estudo ingleses que é ainda mais completa que a natação), que trabalha além do corpo, a parte artística e porque não nossa ‘alma’.

Adultos costumam ter posturas instauradas, e muitas vezes contraturadas o que diminui flexibilidade, aumenta problemas de coluna, gorduras localizadas, diminui a capacidade respiratória, e proporciona dores diáras pelo corpo, além de diminuir a agilidade dos movimentos. No ballet clássico temos a oportunidade de trabalhar tudo isso a partir de fortalecimento muscular e alongamento, trabalho respiratório e de condicionamento físico, bem como muito trabalho postural.

Mesmo adultos, ainda temos espaços articulares que são possíveis serem trabalhados, melhorando nosso desempenho físico, e forma muscular.

Pois nos trabalhos de alongamento mais do que alongar a musculatura estaremos priorizando aumentar esses espaços articulares, uma vez que dentro de nossas articulações, unindo nossos ossos temos ligamentos – moles – que também são trabalhados durante as aulas de alongamento possibilitando dessa maneira trabalhar o espaço articular, e em conjunto trabalhar a musculatura que envolve tanto a articulação como os ossos, formando nosso ‘esqueleto mole’.

Exeprimente durante uma semana fazer um alongamento básico diariamente para ver se sua amplitude para aquele movimento treinado não aumenta.

Não devemos nunca nos comparar, nós adultos, a jovens que iniciaram seus trabalhos cedos, ainda crianças quando esses espaços eram grandes, e havia maior facilidade em trabalha-los, porém mesmo assim podemos ganhar muito mais espaço, e depois qdo mais velhos agradecermos não diminuir tanto nossa altura, nem agregar contraturas posturais graves.

A agilidade e o aprendizado dos passos favorecerá os processos de atenção, concentração e memória.

Os passos trabalharão as musculaturas como um todo, fortalecendo e fazendo-nos, muitas vezes, descobrir novas formas posturais (e até mesmo músculos que nunca havíamos pensado ter).

O trabalho postural trabalhará até mesmo as gorduras localizadas, uma vez que muitas delas, apesar da genética e da concentraçao de massa gorda, é resultado de má postura (exemplos clássicos: culotes, abdomen, ‘lombo’, bumbum).

Experimente.

Perca o preconceito e corra atrás de seu sonho. Mesmo que vc não vire a primeira bailarina do Kirov, ou o primeiro bailarino, com certeza os benefícios angariados serão maravilhosos!!!

Sem contar que além de tudo ainda aumentamos nossa rede social… novos amigos e amigas, num espaço de saúde e crescimento pessoal… além de concretizar um sonho!!!

Te espero sempre por aqui!!!

um beijo carinhoso,

 

Tia Ká

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized