Arquivo do mês: janeiro 2011

Ballet clássico na volta das férias e na corrida contra a balança!


Olá bailarinas e bailarinos!

O tema peso sempre nos persegue não é mesmo?! Acho que está para existir alguém realmente satisfeito com seus quilinhos a mais, ou pasmem a menos!!! Daí quando junta com o tema BALLET CLÁSSICO então ui!

Como eu trabalho com adultos eu trabalho com pessoas NORMAIS. Isso gente que come. trabalha, as vezes sem tempo de se alimentar direito e mesmo de sofrer cortes drásticos alimentares….

1. O peso atrapalha?!

Qualquer sobrepeso atrapalha nosso desempenho corporal fisiológico. No ballet clássico vc nõa começa no avançado, e neste trabalho de preparação corporal, aprendizagem da movimentação, você começa a se moldar… a “mudar” estruturas musculares, reforçar musculaturas fragilizadas por posturas corporais inadequadas que nos dão até mesmo dores e problemas.

Esteticamente: as roupas de ballet muito justas e que servem para mostrar o trabalho muscular, e o melhor desempenho de nosso conjunto musculo-dança. Quando estamos no sobrepeso e temos o índice de gordura muito acima fica menos estético porque ninguém quer ficar com “banhinhas saltitantes, né?” então cabe a cada uma de nós usarmos “figurinos” que nos favoreçam: saias que não aumentem o bumbum, por exemplo: as saias de crepe favorecem todos os corpos enquanto as de de tecidos muito sintéticos aumentam em muito nossas “linhas”rs. Saias muito compridas e usadas “abaixo da cintura” cortam nosso comprimento e … bum viram bolinha! rs Tem gente que fica linda de bermuda ou short de lã (eu fico com um bumbum maior ainda!, prefiro as sainhas de crepe). Minhas alunas tem optado cada vez mais pelas sainhas mais curtas, mesmo que seja mais curta na frente e com o bico atrás – elegante, essas sainhas aumentam a linha de perna (comprimento…)… Ou seja pergunte ao seu professor ele vai saber dar uma dica legal!!!

Saltos e joelhos: Se vamos começar ou recomeçar alguma atividade física temos antes que trabalhar passo a passo. Ninguém deve se jogar em saltos e grand plies sem estrutura muscular adequada. Sim, desde o grand plie temos que fazer ante sum reforço muscular e isso serve inclusive para a super magrinhas!!!

Sem contar outros sobrepesos: de namorados, maridos, filhos,  trabalho, etc… Esse sobrepeso também pode favorecer o sobrepeso do corpo… Uma pessoa que tem leveza, não necessariamente tem sobrepeso… seja na vida ou corporalmente. Tenho alunas que tem peso corporal que as pessoas olhariam e diriam “ah… essa gordinha?!” – e quando a bailarina entra eles olham: nossa como ela é leve!

O peso na nossa vida ou sobrepeso atrapalham sim, ainda mais quando a gente não consegue lidar com ele. Muitas vezes é mutio mais necessário o trabalho muscular de sustentação, e ter um tempo para pensar em si mesmo (que o ballet propicia) para ajudar a resolver esses outros sobrepesos que acabam nos “enchendo”!! ;o) rs

2. O ballet emagrece?

Nada isoladamente emagrece! Gastar calorias mas ingeri-las em valor superior ao gasto: não emagrece! Exercícios sem dieta, ajudam a não engordar… Para emagrecer é necessário dieta BALANCEADA + atividade física. O ballet é um exercício basicamente isométrico, e sim gasta calorias. Mas é necessário saber o que esta sendo feito e como manter o gasto calórico durante e após a prática do exercício.

Costumo dizer que o ballet clássico MODELA o corpo da mulher e do homem! ELE NOS AJUDA A DESENHAR NOSSOS CORPOS! Venha experimentar! rs

3. Mas eu sempre fui gordinha… tenho vergonha.

Esse talvez seja seu maior desafio: se redescobrir mulher e bela com o corpo que tem, e a partir daí ver se deseja de fato mudar ou não… E o que mudar! Ainda mais importante. O ballet lhe permite um contato com você mesma com seu intimo, e assim vc passa a ser mais honesta com esse querer, que deixa de ser do amigo(a), namorado(a), marido (esposa) e passa a ser SEU OBJETIVO.

Uma das coisas mais gostosas que ouvi de muita gente que assistiu ao espetáculo foi: nossa elas são pessoas normais, como eu… eles são direntes uns dos outros… Eu sei e acho belíssimo a busca pelo corpo de baile igual corporalmente que vc nem sabe quem é quem. Ok. Mas esta não é a realidade de bailarinos que começam adultos e já vem com corpos prontos! Meu corpo de baile mesmo diferente foi lindo pois tinha a mesma energia em palco!

O Ballet vai lhe dar a possibilidade angustiante e ao mesmo tempo reveladora. Páre de se olhar no espelho com a cobrança do olhar “do que o outro vai achar” esse outro que pode ser apenas o seu interior…

Pense, reflita e se permita ser quem você é! Pois a gente só imprime mudanças naquilo que aceitamos como é, vivemos o como é e então descobrimos como mudar!

Então eu “super” recomendo o ballet!!! Na volta das férias então?! Momento mais que bom: o momento que você está disposta(o)!!!

grande e iluminado beijo,

Tia Ká

Ah!!! e começa AMANHÃ!!!! IMPERDÍVEL!!!!

 

Para levar para casa e pensar:

“O possível não nos é dado. É preciso criá-lo.” – Élida Lima

24 Comentários

Arquivado em A DANÇA: BALLET CLÁSSICO SEMPRE!

Feedback 2 – “Tia, eu estou indo bem?! Eu melhorei?!”


Olá Queridas bailarinas e bailarinos!

Confesso que estava com dúvidas sobre o que de fato escrever… Mas ontem após uma conversa de longa distância sobre posts antigos, histórias antigas e atuais, alguém sugeriu: “Ah, Tia! Escreva sobre como estamos indo! Feedback 2!”. Ok!
Quando eu escrevi o primeiro feedback estávamos traçando os caminhos da formatação de nossa “escola de ballet clássico especializada no ensino para adultos”, ja éramos em muitos porém não tão próximos uns dos outros como estamos hoje! É incrível, como de verdade isso vai se construindo, essa proximidade/amizade! Hoje temos uma grande proximidade que me fez lembrar dos tempo de Ballet Ana Araújo, trabalho sério mas de amor profundo. A Ana é mágica e magnífica, na sala de aula, no palco, na conversa na salinha, até na bronca! E eu sempre achava que estava em minha segunda casa, minha segunda família, laços esses que eu jamais quebrei, muito menos o amor, a admiração e até certo ponto a devoção.
A Ana Araújo dentre muita coisas me ensinou a proximidade, a amizade, a bronca para o crescimento. O dito: “temor reverencial”. Ver quando ela de fato se alegrava com algo que nós fazíamos era de uma iluminação única. A mão dada, o olhar com lágrimas, os corações batendo juntos e ao mesmo tempo (mesmo que totalmente arrítmicos!)… tem quem chame de confraria, eu chamo de amizade verdadeira daquelas abençoadas pela arte. E junto com tudo isso o seríssimo trabalho de Ana Araújo e sua escola que já levou bailarinas e bailarinos para o exterior, e grandes companhias brasileiras (;p). Ou seja ela é endeusada por nós suas eternas bailarinas e por todas aquelas que já passaram por suas hábeis mãos de formadora de bailarinos, porém ela é humana e por isso amiga, diretora, mãezona, coreógrafa, professora. Eu me inspiro muito em Ana Araújo, pois ela foi e sempre será alguém extremamente importante = deu-me o espaço que eu precisava para voltar a ter muito tesão/prazer em dançar. Dançar com ela, com Roseli Rodrigues, jogar a cabeça, rapidamente, giros, pernas, olhar, carão e MUITA TÉCNICA! Obrigada!
A proposta do ballet clássico para adultos na minha escola é séria. E tem a ver com o rápido crescimento e desenvolvimento que meus alunos e alunas apresentam em sala de aula. A grande maioria matriculada mais que 2x na semana, porém com grande crescimento também visto nos alunos que infelizmente não podem, não conseguem, fazer mais de uma vez na semana.
Já disse em outras ocasiões que boa formação a gente não perde. Acredito muito nisso levando em conta inclusive que os ensinamentos recebidos por nossos pais se perpetuam em nossa vida sejam eles bons ou ruins. Eu agradeço diariamente aos meus pais os caminhos que eles me traçaram, aqueles que fizeram comigo de mãos dadas e atualmente essas mãos dadas via linha do coração, pela distância.
Desta forma acredito que a formação solida, a busca crescente pelo meu desenvolvimento como professora, e a sempre oportunidade de aproximação com meus alunos-pupilos-bailarinos me faz crer que estou no caminho certo. A gente não se entrega ao conhecimento que não acredita. E esse acreditar é no que esta sendo passado, em quem está passando e em si mesmo.
Ao ser extremamente minuciosa ao dar a aula descrevendo a musculatura que deve ser acionada, vendo isso no corpo do meu aluno através de olhos treinados anteriormente (minha segunda formação), e a seriedade no ensino concreto da arte do ballet contribuem para essa segurança que vejo crescendo no meu aluno. Não é apenas uma questão de movimentação escrita em livros, mas dançada de forma interligada e com sentimento. Sentimento esse que para existir precisa de algo mais, um toque de um certo “pirlimpimpim”- rs! E então os passos deixam de ser 1, 2, 3 fuette, e passa a ser um momento em que a plateia segura o ar, deixando as mãos preparadas para aplaudir… enquanto a bailarina vai sentindo esse coração dançante disparado, deixando a música sair pelos seus poros, mas não deixando de pensar em 1, 2, 3, perna, en dehors, etc etc etc. Mas o sentimento está lá saindo em forma de musica, de leveza, de passos tecnicamente treinados, buscando a execução perfeita.
Faço questão em minha sala de aula de fazer, de deixar acontecer, essa “magia”. Pois dançar vai além de físico perfeito ou apto à, vai além de saber fazer o passo. Para Dançar também tem o que de dominar o medo: o medo de errar, o medo de não ser perfeito como eu imaginei que pudesse ser, o medo de algo dar errado – pois sempre dá!… Ao final de cada aula eu faço o reverance. É um momento oportuno para aprender a lidar com esse sentimento+técnica, depois de uma aula, agradecer aos alunos, ao público, à Deus (seja ele o Deus de cada um – não falo de religião simplesmente e sim de crença, de fé…) agradecemos aos professores. O aplauso ao final de cada aula, vai dando o “aire” que o bailarino aprendiz foi buscar, dentro da sofisticação do ballet clássico!
Todo espetáculo de fim de ano tem um pouco de “formatura”, mesmo que não seja de fato a formalização do ensino técnico completo do ballet clássico, mas daquele ano que ele tanto estudou, que ele se dedicou… e este ano tivemos formaturas maravilhosas… Duas técnicas: Priscila Carvalho e Simone Kneip Cavalheiro! Hoje Priscila faz parte da equipe de professoras de minha escola e Simone só não o faz concretamente (sendo professora substituta) pois acaba de entrar para o mestrado! A Priscila (ou Pricupi) é doutora em Biologia pela USP!
Onde entra o feedback, Tia?!
Entra nisso tudo, fiz um para mim primeiro, rsrsrs (adendo!).
Após essa formatura e esse espetáculo, recebi minhas alunas e alunos de volta (ou a maioria, pois houve quem ainda não voltou, haverá quem não voltará e também quem demorará, mas volta) deixei-os a vontade com suas novas e grades e neste primeiro mês PUXEI, puxei mesmo as aulas! Houve quem foi para um grau mais avançado, houve quem permaneceu no mesmo tecnicamente por que ainda precisa limpar muita coisa, ou mesmo aprender de fato… Coisas extremamente comuns no ballet e que em nada tem a ver com “eu não sirvo” ou “eu nunca vou conseguir”.
Tem a ver com o ensinar e o aprender! Tem corpos e corpos , musculaturas e musculaturas! Mas todas melhoraram muuuito!
E se eu disser que parece que o espetáculo deu a vocês a certeza do estudo que desempenharam ao longos desse ou desses anos vai ser a mais pura verdade! Se eu disser que vocês hoje estão seguras de que podem, de que o estudo e o treino valem a pena, e que com isso estão cada dia indo mais e mais a frente e que eu me arrepio de vê-las a cada dia mais belas e mais bailarinas… é a mais pura verdade.
Hoje esse post vai dedicado a todas vocês minhas alunas e em especial para uma bailarina linda… a Rew Torres. Ela é humilde, sincera, honestíssima. Aplicada, discreta, faladeira (se eu não escrevesse vcs iam chorar sem rir!), pirueteira, linda bailarina. (não comentei o en dehors… bom deixa para lá…  rs) Linda amiga, inclusive. Ela tem potencial e possibilidades de solista e esse ano já ganhou seu belíssimo papel, e sim será solista POR MERECIMENTO TÉCNICO DE BAILARINA. Seu papel, a jóia raríssima que ela é… Rew! Você me supreende positivamente e muito a cada aula, e me encanta como amiga a cada dia! Obrigada!

Beijos a todas bailarinas e bailarinos que acham que foram mal na aula de hoje, que não ficaram satisfeitos com sua performance, que se acham muito ruins e acham que suas dificuldades são insuperáveis: a pior dificuldade é a de não acreditar! E tem dias em que nada da certo, que as estrelas e luas estão em organização não próprias para piruetas ou mesmos simples plies… rs
Ah! ISSO TAMBÉM ACONTECE COM SEUS PROFESSORES! Mais do que podem imaginar! rs
Mas é só não desistir de tentar, de levantar a cabeça e saber que é mais que uma linha de pé, ou uma perna alta. BALLET É MUITO MAIS. BALLET É ARTE, É DANÇA! E esse caminho alunos(as) queridos (as) do meu coração vocês já estão trilhando junto comigo: técnica + arte!
Um beijo iluminado para todos!!!
E LEMBREM-SE: EU ACREDITO EM VOCÊ! hummm.. um passo já foi dado! ;o)
Tia Ká
Foto do fundo do Blog – bailarina “Juliana Loyola” na coreografia PERMITA – “SONHOS” – 18/dezembro/2010 Teatro Gazeta


Primeira aula da ano de 2011! 10/01/2010 – Aula de básico 1/2 – segundas e quartas das 20h30 as 22h (visitas de alunas de outros níveis – a troca, o vislumbrar o amanhã sempre contribuem para o nosso crescimento!)

16 Comentários

Arquivado em ballet adulto, Cartas a uma jovem e adulta bailarina!, Diário de uma professora de BALLET CLÁSSICO PARA ADULTOS..., Histórias de vida de bailarinas adultas e reais!, Sobre dúvidas em passos e limpeza de movimentos., Uncategorized

Volta às aulas 2011 – Ballet Clássico para Adultos do preparatório ao avançado!


Queridas bailarnas e queridos bailarinos!

Muita gente pode ler e dizer, ah, mas toda escola tem aulas de ballet do inciante ao avançado para todas as idades. Qual é o diferencial desta escola?!

O diferencial é uma escola onde o ensino é voltado para o ADULTO.  Ou seja, a média de idade das aulas é de 26 anos, ou mais. Os profissionais que dão as aulas de ballet sob a coordenação e direção da professora Karen Ribeiro recebem a orientação sobre o corpo em envelhecimento, verdade que se incia aos 22 anos. E deve ser tremendamente considerada.

O ensino ballet foi montado para ser dado nas grandes companhias de ballet, o que faz com que seja necessário por exemplo para uma criança repetir exaustivamente durante um ano inteiro o desenvolvimento de 8 tempos no tendu… já no adulto essa repetição se faz de forma diferenciada e menor, uma vez que já tem a musculatura pronta e o necessário seria a coordenação e o aperfeiçoamento muscular, bem como o condicionamento nervoso-muscular.

É necessário um pouco mais de tolerancia, de carinho, de atenção voltada a uma releitura do corpo adulto. Não que ele tenha vícios posturais, mas ele foi projetado não para estar leve ou nas pontas e sim para pisar firme no chão, muitas vezes com crianças no colo, carregando pesadas mochilas, andando torta em condução, ou mesmo no desconfortável automóvel com o abdomem solto e as costas curvadas. Tem musculatura posterior muitas vezes encurtada (muitas ou na maioria das vezes!!!), fragilidade óssea… Algumas mulheres já estão entrando ou já entraram na menopausa. Muito trabalho, preocupação etc etc etc.

Além de excelente formação tecnica no ballet o professor de ballet clássico para adultos precisa ter esse olhar diferenciado para o bailarino/aluno adulto… levando em conta que muitas veezs sua dedicação pode estar aquém não porque o aluno assim deseja (distração do adolescente, por exemplo) e sim porque está com um monte de problemas e está no ballet justamente tentando pensar em si apenas, mas que tem dias que fica quase impossível se conseguir isso…

O que as vezes frustra… E muitas vezes é difícil lidar com essa frustração sendo já dominantes em algum assunto da vida… Acolher essa frustração e transforma-la em tempero para a continuidade não deixando o aluno desistir, é uma arte a qual a pedagogia e a vida nos ensinam no trabalho diário com os alunos.

Este ano o BALLETADULTOKR® contará com uma equipe de profissionais que em conjunto comigo, estudaremos e ampliaremos nossos conhecimentos acerca do ballet clássico e do estudo do ADULTO:

Somos nós:

– Karen Ribeiro – coordenadora e professora do BALLETADULTOKR®

– Paola Bartolo (professora do projeto “Novos Sonhos” – infantil) e professora de ballet clássico para adultos módulos preparatórios;

– Carlos Oliveira – professor de técnica masculina e professor para mósdulos básicos do BALLETADULTOKR®;

e Maestra Natasha Zemtchenkhova assumindo as aulas de maestria à professora Karen e de metodologia aos professores do BALLETADULTOKR®, bem como algumas aulas de avançado na grade do BALLETADULTOKR® – Studio Ana Esmeralda!

– Aulas de “CLOWN” – com a Trupe Fantaisiste sob coordenação de Lucas Martins (Tio Pelucius)

Nossa intenção é levar ao adulto as melhores e mais sérias oportunidades para transformar seu sonho em realidade!

VENHA FAZER PARTE DESTA FAMILIA E NOS AJUDE A TRANSFORMAR SEU SONHO EM REALIDADE!!!

BALLETADULTOKR® – Seu sonho levado a sério!

beijokas iluminadas, Tia Ká

Nossa iluminada platéia do Teatro Gazeta (18/dez/2010) nos aplaudindo em pé! #EMOÇÃO

12 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Como foi o espetáculo?! Foi o início da realização de alguns “Sonhos”


BOLETIM NUMERO 1 – “SONHOS”BALLETADULTOKR®

2010 acabou com a energia necessária para fazer 2011 crescer!

Por incrível que pareça ainda não tive tempo de chorar todas as lágrimas, e acho que ao invés de cristais elas se transformaram em atos de amor!

Nõa é incomum dizer que foi um ano de muita cobrança, turbulencias, desafios, e muito muito crescimento. E claro que há tudo vem associado uma parcela de dor, de perdas, enfim. Coisas da vida.

Hoje dando entrevista para uma revista (ai que chic!!!) percebi o quão grande é o meu limiar para dor. A queridíssima Jornalista Denise se emocionou com lágrimas aparentes em muitos trechos da entrevista, inclusive eu, claro!, revelando um mistério como vc aguenta tanta dor (no caso era física) e me toquei que eu nõa me incomodava com a dor, como se já tivesse absorvido essa dor no meu compreender do mundo. Ou seja percebi que para me fazer sentir dor o negócio tem que ser forte! Seja ele emocional ou físico.

Acredito que ver lágrimas de felicidade ou até mesmo de dores resolvidas em minhas alunas, de emoção de compreensão é a análise mais plena a qual pude ter acesso. Tenho certeza que nõa fui a unica que passei por mazelas do amor, (ou passo!!! rsrsrs), que tem historia de ganhos e perdas, etc etc etc… Mas a realização da arte e do belo em corpos já rejeitados, ou idades rejeitadas e isso ser wow… tudo de bom hoje, no palco, nas pontas ou no salto, de biquini, no barzinho… é assumir de fato a beleza da mulher dentro e FORA! a beleza do homem dentro e FORA!

Eu ficaria horas e horas falando de tudo que ouvi, de tudo que li, de tudo que senti, mas perderia a graça, convido-vos então a virem experimentar tudo isso!!!

Não vos digo que não teremos dificuldades, mas digo que valera a pena… Ô se vale!!!

um beijo iluminado no coração de todooooooos,

FELIZ 2011!!!

Tia Ká

11 Comentários

Arquivado em Uncategorized