“Será que ainda da tempo?!” – dúvidas e mais dúvidas!!!


Todos os dias eu recebo um e-mail ou um telefonema, ou ainda uma pergunta direta na conversa com meus alunos(as) que contem a frase: “será que ainda dá tempo?” “será que vou conseguir?” “será?!”…

Marília Costa - na coreografia "Sonhe" - Espetáculo "Sonhos" do BalletAdultoKR® 2010 - Teatro Gazeta

Daí me recorre que essa pergunta quando relacionada ao ballet ela é retórica em relação a um certo “TEMPO PERDIDO”. Como se a possibilidade de realizar um sonho o “sonho de ser bailarina” se remetesse a outros “tempos perdidos”: será que dá para eu beijar quem eu deixei de beijar? abraçar quem eu deixei de abraçar? me desculpar a quem deveria ter me desculpado, ligar para quem eu deveria ter ligado, falar o que deveria ter dito, calar-me quando falei?!…

A realização do sonho de ser bailarina clássica, ou mesmo a possibildiade desta realização é envolta de uma grande carga emocional, de possibilidades que passam a ser reais e antes eram imaginárias ou mesmo nem imaginadas. E isso tem uma repercussão muito grande dentro (coração e cabeça) de todos nós.

Vira e mexe EU me olho no espelho de minha sala de aula e vislumbro meu corpo, e pergunto-me também: será que vou conseguir?! Esse espelho cruel da sala de aula: que me mostra meus quilos a mais, minha idade a mais, meu tamanho de menos, minhas coxas de mais… Esse espelho é tão verdadeiro que ao dançar eu prefiro o espelho interno, o espelho da minha alma, aquele no qual eu me enxergo como eu me projeto, e por isso a pergunta “será” deixa de ter sentido e eu acredito cada vez mais que sim é possível, é possível e sim, dá tempo.

Mas depois eu recebo essa pergunta de novo, no fim do dia, na ultima aula: “Tia você acha mesmo que dá tempo? que eu vou conseguir?!” – e por trás da pergunta olhinhos brilhantes de possibilidades que ao entrar na sala de aula vestida de bailarina passaram a ser reais, e as dúvidas que antes eram tão distantes passam a ter gostinho de conquista.

EU como professora vejo progresso em meus alunos DIARIAMENTE. Aulas pesadas de construção, que muitas vezes nõa chegam ao centro ou às diagonais por precisar aprender de fato, limpar de fato… Mas que aos poucos vai delineando o caminho motor da musculatura e dia após dia vai delineando movimentos dançantes nos braços, nos pés, nas pernas…

“Tia, eu não consigo” – afirmação vinda com olhos marejados diante um passo dificil para a primeira execussão, ou diante de vários dias tentando e não saindo como desejava (a sindrome da perfeição absoluta!!!!), e a gente faz junto e a possibilidade do conseguir se abre e junto com isso um sorriso emocionado se abre timidamente.

Ballet é arte envolto de movimento e musica. Movimentos precisos que precisam ser delineados em coordenaçõa motora, força muscular, direcionamento nervoso, composição mecânica, e junto com tudo isso estar extraindo de cada poro do nosso corpo as notas musicais, as expressões…

Meus alunos de nível básico (1 e 2 ano vaganova) já começaram esta semana o estudo das cabeças e braços juntos com os movimentos de barra. É incrível o que já se fazia com facilidade tornar-se tão complicado ao colocarmos uma cabeça acompanhando ou um braço…

Será que eu consigo?! Eu como professora estou na sala de aula para te ensinar o caminho. E EU ACREDITO EM VOCÊ. E sei que consegue! Afinal ter uma escola de ballet clássico para adultos com mais de 1 centena de alunos (!) pode responder essa pergunta né?!

Mas eu tenho coxas grossas… EU TAMBÉM. Eu estou acima do peso… OK, A GENTE PODE MUDAR ESSA SITUAÇÃO E TRABALHAR SUA MUSCULATURA PARA A DANÇAR SER POSSÍVEL!

VAI DEMORAR MUITO??? O tempo é uma questão altamente relativa… e dela advém o será que ainda dá tempo…

já ouvi pessoas dizendo que sou apressada ao mudar meus alunos de grau e colocar pontas. Minhas aulas são construtivas, e estudadas e meu legado de ser terapeuta com minhas especializações me permite um conhecimento e um olhar para o corpo do meu aluno que possibilita alguns apontamentos únicos.

Alunos estudiosos e assíduos, até de 2x semana chegam a colocar pontas SIM EM 3 MESES. Mas é de cada aluno. E colocar pontas significa treinar nas pontas, aprender a subir e a manter o calcanhar alto dos trabalhos de meia ponta altíssima desenvolvidos na sala de aula. Colocar as sapatilhas de pontas não significa virar da noite para o dia uma Makarova!!! Mas possibilita delinear os caminhos de minhas alunas… que apontado pelo professor começa a seguir o curso que elas próprias vão trilhando… e isso é lindo!

Daí esse vai “demorar muito” deve ser direcionado de fato: vai demorar muito para que?! As vezes um minuto de espera por aquela ligação é uma eternidade, e um ano ensaiando para um espetáculo de fim de ano passa tão rápido!!!

Eu posso dizer:

1. Tia Ká (professora) = ballet é aprendizado diário, estilo de vida. É necessário treino, muito treino. É necessário levar para o dia a dia a postura aprendida, andar com o umbigo na garganta, as escápulas encaixadas e os intercostais sustentados… você passa a treinar escovando os dentes, esperando o ônibus, o Metrô, no cabelereiro, arrumando a casa e até mesmo no trabalho (quem nõa curte as cabeças do ballet no dia a dia heim?! – rs)… Vai demorar O SEU TEMPO. E dá tempo?! Claro que dá, mas é PRECISO COMEÇAR AGORA. A GENTE GANHA 1mm de alongamento por dia… no final de um ou dois meses já vou ter descido 2/3cm – agora se eu não treinar vou continuar nõa conseguindo!

2. Karen Ribeiro (bailarina) = Vai conseguir sim!!! Eu também fico em dúvida e tem dias que ta tão difícil dar à minha maestra o que ela pede, que aquele suspiro de meu Pai, porque escolhi voltar a fazer isso, rs, me domina, mas é subitamente substituído pelo olhar  dela: vai, vai que vc consegue, não tenha medo… Eu me emociono de lembrar e sei que é este mesmo olhar que quando entro na sala de aula como professora eu dirijo aos meus alunos!!! ENTÃO: VAI CONSEGUIR, mas é preciso treinar! Sempre!!!

Então gente, dá tempo sim, mas páre de perder tempo!!! Venha começar logoooo!

Tem 16 anos e quer ser bailarina profissional?! TEM MUUUITO CAMINHO PELA FRENTE E MUITA DEDICAÇÃO, corre vai fazer aula!!! 18?! Vamos correr e fazer aulas!!!

Já se passaram 30 anos?! Melhor que 40! Ah… mas já se passaram 40, vamos antes dos 50!!! Mas eu tenho 50, entõa venha antes dos 60 e assim por diante! OU VOCÊ FAZ AGORA E COMEÇA A REALIZAR SEU SONHO, OU VAI SE LAMENTAR NÕA TER TIDO A CORAGEM DE TER TENTADO REALIZA-LO E VER QUAL É A RESPOSTA DA SUA PERGUNTA. Pois eu respondo da minha experiencia de vida, mas ia ser bem legal que você respondesse diante da sua experiencia de vida!!

Lanço aqui a oportunidade de minhas alunas e ou outras bailarinas adultas responderem essa questão! o que acham?! Postem em comentários neste post a resposta de vocês às perguntas:

1. Será que dá tempo?!

2. Mas vai demorar muito?!

3. Eu tenho coxas grossas, será que eu consigo?!

4. Eu sou muito alta e magra demais… consigo?!

5. EU to acima do peso e sou muito baixinha… será?!

 

Lançado o complemento, digam vocês bailarinas adultas: será que consegue?!

beijos iluminados a todos,

 

Tia Ká!!

 

 

Corpo de baile do BalletAdultoKR® na coreografia "Sonhe" - do espetáculo SONHOS 2010 - mulheres de 20 a 40 anos que responderam às perguntas acima da melhor forma: EXPERIMENTANDO!

90 Comentários

Arquivado em A DANÇA: BALLET CLÁSSICO SEMPRE!, aulas de ballet clássico, bailarina, ballet, ballet adulto, ballet adulto iniciante, ballet clássico adulto, blog de ballet, Cartas a uma jovem e adulta bailarina!, Diário de uma professora de BALLET CLÁSSICO PARA ADULTOS..., Histórias de vida de bailarinas adultas e reais!, Sobre dúvidas em passos e limpeza de movimentos.

90 Respostas para ““Será que ainda da tempo?!” – dúvidas e mais dúvidas!!!

  1. Eu me faço essa pergunta sempre… e sinto uma angústia desmedida. Não só, isso me bloqueia e acho que o meu progresso no ballet emperra muito por conta disso. O engraçado é que eu incentivo todo mundo a fazer ballet, mas eu mesma me fecho porque acho que não vou conseguir. Travo completamente (ou você ainda não notou que eu enrolo enrolo enrolo…). Sobre a sua “pressa” em mudar os alunos de nível, eu vejo de outra forma, você tem consciência de que está diante de adultos. Não só, você tem responsabilidade e conhecimento, sabe o que está fazendo. Em junho, faz quatro anos que comecei, e penso que se tivesse começado pelas suas mãos, o mundo da ballet já seria meu.

    Beijos.

    • BalletAdultoKR

      :Õ)))

      LINDA CÁSSIA!!! OBRIGADA!!!
      A gente foi feita de força de se se fazer quantas vezes forem necessárias, mas com certeza eu nõa te deixaria tantas dúvidas e te incentivaria mais!
      Mas nunca é tarde!!!

      Esta sexta começamos, para te aguardar!!!

      beijokas e sempre obrigada!!!

      • Carla Brant

        Professora!

        Você não imagina como estou feliz! Há tempos queria voltar a fazer Ballet, atividade que me ensinou a ter disciplina, controle e perseverança desde os 3 anos de idade… Infelizmente a gente tem que “virar adulto” e fazer algumas escolhas, que nos deixam sem tempo de fazer o que realmente gostamos. Nesses 10 anos longe da dança, comecei a correr, (atividade que também exige extrema concentração, disciplina e perseverança). Mas nada se compara a felicidade que estou sentindo agora: voltar a fazer uma atividade que me acompanhou durante anos da minha vida e que me ensinou muito. O caminho para rucuperar a antiga forma será longo, eu sei. Mas o amor pela dança que nunca morreu irá me lançar com muita garra à esse desafio.
        Posso dizer que mesmo tendo feito apenas duas aulas com você já sinto confiança e o seu desejo de progresso em cada uma das suas alunas!
        Muito obrigada e espero dançar ainda muitos anos da minha vida.
        Beijos!
        Carla Brant – aluna nova intermediário I

      • BalletAdultoKR

        Carlinha (té parece que é pequenininha!!!)!!!
        Linda minha!!!

        SEJA BEM VINDA AOS NOSSOS DESAFIOS DIÁRIOS DO BALLET CLÁSSICO!!!

        Muitos anos de ballet a todos nós!!!

        beijokas

  2. Lia

    =´)
    1. Será que dá tempo?! CLARO. tempo é relativo.

    2. Mas vai demorar muito?! O quanto for necessario, sem pressa, trabalhando de pouquinho, de milimetros. Na ansiedade da vida moderna, 1 semana é tempo demais, mas calma lia, calma

    3. Eu tenho coxas grossas, será que eu consigo?! =S NÃO SEI. custo a acreditar que sim, mas vira e mexe da aquela duvida =S

    4. Eu sou muito alta e magra demais… consigo?! dã Claro!

    5. EU to acima do peso e sou muito baixinha… será?! mais uma q meu otimismo manda acreditar mesmo duvidando… (não pelo baixinha)

    mas no final eu quero mais é ser feliz. enquanto eu estiver dançando, pode demorar o tempo que for, melhor assim… será eterno dentro de mim!

    beijos tia!

    • BalletAdultoKR

      E cada dia dia mais lia, você está mais forte mais linda e mais longelínea, de uma piruetta virou duas, o calcanhar aos poucos tem trabalhado mais en dehors!

      Hoje fui fazer aula com a minha sempre maestra Liliane Benevento, e o que ela disse: se não nasceu magra com colo de pe, pe estica, en dehors, vai fazer o que??? TRABALHAR. Para ganhar! Como tudo na vida!!!

      Linda Lia!!! Te espero hoje a noite!!!

      beijokas iluminadas meu anjinho!!!

  3. Dani Valala

    Olá Ká, tudo bem?!! Li seu último post e, confesso, fiquei emocionada!!! Ainda não te fiz uma visita por conta de duas situações: a primeira, uma crise fortíssima de fibromialgia, e a segunda, pior motivo (eu acho), a falta de coragem…
    Quem sabe um dia, se nos conhecermos, vc entenderá o porquê…
    … de qualquer forma continuarei acompanhando seus posts, criando coragem, e, pedindo a Deus para que em breve possa conhecê-la e as suas aulas!
    Força Sempre!!!
    Abraços Fraternos,
    Dani Valala.

    • BalletAdultoKR

      Querida e linda Dani!!!

      A Fibromialgia a gente pode melhorar com a pratica de exercícios físicos , ainda mais alongamentos e exercícios isométricos vão aliviar e melhorar!!!
      Quanto à falta de coragem, eu empresto um pouco da minha, ajuda???

      beijokas iluminadas e até breve!!!

      Tia Ká

  4. Marília

    Olá!
    Faço ballet há pouco mais de um ano e, só por ter começado, é sinal de que acredito SIM que dá tempo. Tenho 22 anos, mas se tivesse 30,40 continuaria acreditando que é possível.
    Muitas vezes as dificuldades me fazem pensar: porque não comecei antes? Teria sido tão mais fácil?
    Mas depois penso que se comecei agora é porque era a hora certa pra mim e se demorar não importa, pois o que interessa mesmo é que passe esse tempo tentando, dançando, feliz da vida.

    Bjos

    • BalletAdultoKR

      Sabe por que teria sido mais fácil se vc tivesse começado antes? Porque o tempo quando a gente é criança não importa. Para o adulto a famigerada frase: o tempo é dinheiro, DIFICULTA NOSSA VIDA.

      Só por isso linda Marília poderia ser mais fácil!

      Beijokas Iluminadas! Bem Vinda!!!

      • Marília

        Com certeza Ká, não tenho dúvidas disso!
        Sou muito feliz hoje por ter o ballet em minha vida e cada pequeno avanço me faz ter a certeza de que estou no lugar certo, na hora certa!

        Ah, como eu gostaria de morar em São Paulo pra fazer suas tão famosas aulas!=)

        Obrigada.
        Bjo!

      • BalletAdultoKR

        Marilaaaa minhas aulas são famosas??? que chic!!!!

        É que ninguém postou eu dando aula ou ensaio pela manhã (insuportável!!! hehehehehehe)!!! kkkkkkkk

        Mas obrigada!!!
        Tenho cursos de 1 semana intensivos de aulas particulares/em grupo/ observação teoria… vai que vc se empolga em alguma férias suas e vem!!!

        beijokas iluminadas e obrigada pelos elogios!!!

  5. Marcela De Mingo

    Essas perguntas são muito difíceis, tia! Será que eu consigo? Já ouvi muitas vezes me falarem que eu JAMAIS conseguiria subir nas pontas, que o ballet não faria bem para a minha coluna e que eu ia ter que viver com a dor o resto da vida. Contra a vontade de todo mundo entrei no ballet e, bem, pouco mais de um ano depois, eu vi que eu consigo sim, não importam as dificuldades. O tempo é relativo mesmo, depende de cada um e não adianta se apressar para correr atrás da evolução do outro. Cada um aprende em um tempo, evolui em um tempo… Claro, com isso, a frustração é quase uma constante (para mim, pelo menos, que sou perfeccionista pra caramba). É muito difícil tentar, tentar, tentar e não conseguir. Ou tentar e não sair como deveria… Mas acho que o objetivo disso tudo é que, pelo menos tentei e sou muito mais feliz agora do que se ainda estivesse em casa me lamentado das dores nas costas e de ter abandonado a dança. Aliás, a dor quase nunca mais aparece. E sou muito mais confiante hoje, mesmo ainda com a coxa grossa e um pouco acima do peso, do que jamais fui. Estou feliz e isso pra mim é mais do que o suficiente. Se eu vou conseguir mais do que consigo agora… Não sei, de verdade. Mas me olhar no espelho e me ver verdadeiramente feliz por fazer algo pura e simplesmente pelo amor que tenho já é o bastante.
    Então acho que, no fim das contas, não importa se você é baixinha, magra, alta, tem coxa grossa ou não, e sim dar a chance de acreditar em si mesmo e se jogar. Se você cair, do chão não passa, e pelo menos vai ter a consciência limpa por ter tentado!

    • BalletAdultoKR

      Maki, Maki, Maki… ❤ ❤ ❤

      A Maki é BOA… Boa bailarina. Não que todas não sejam (tenho um orgulho imenso de olhar minha sala de aula e ver que tenho alunas BOAS, são lidna, eu me orgulho com ORGULHO!), mas ela é boa. e tem sobrancelha de tia Ká, mesmo sem ela saber disso!!! hehehehehe

      Venceu uma das maiores dores da sua vida no ballet: o MEDO. O medo de sentir dor, o medo de não conseguir, o medo de ser feliz!

      Ta vencendo agora o medo de fazer piruetas!!! Porque quer fazer CERTO. Daí quando ela faz, faz aquela cara de black swan conquistando o principe! rsrsrs

      AMO!

  6. Juliana Loyola

    1. Será que dá tempo?!
    Para ser feliz sempre HÁ tempo.

    2. Mas vai demorar muito?!
    Quero que seja eterno, afinal, a perfeição é uma eterna busca… E se redescobrir neste “espelho” interno, diariamente, é o maior ganho! Saio de cada aula uma outra Juliana, não só fisicamente diferente (achava que não conseguiria, mas já estou), e essas conquistas dia a dia me traz uma felicidade que não dá para descrever em palavras… Quero o Ballet na minha vida pra sempre!

    3. Eu tenho coxas grossas, será que eu consigo?!
    Com muito esforço e suor todo dia… sim! Vamos chegar lá! E quando chegar lá, vamos querer ir mais pra lá… e as coxas? Estarão mais forte, firme, mas provavelmente ainda grossas, afinal, nasci assim!!! Rsrsrsrs

    4. Eu sou muito alta e magra demais… consigo?!
    Com esforço, dedicação e principalmente vontade, conseguimos!

    5. EU to acima do peso e sou muito baixinha… será?
    Quando a gente vê isso no espelho e se fazemos essa pergunta é hora de olhar o espelho interno. É difícil… mas se fosse fácil não teria graça, né?

    Quero me permitir sempre!!!!

    Ká, vale destacar que vc é uma grande inspiração pra tudo que vc disse aí em cima!

    Beijooooossss

    Ju Loyola

    • BalletAdultoKR

      LInda Ju Loyola…. ❤

      1. Será que dá tempo?!
      Para ser feliz sempre HÁ tempo. – e eu nõa vou deixar vcs desistirem disso!!!

      Obrigada por ser inspiração!!! ❤

  7. Mari Lessa

    Todas nós temos, ou já tivemos, estas dúvidas um dia e de vez em quando elas voltam. Só que passei a acreditar que talvez elas estajam mais ligadas a nossa relação com nós mesmas do que na cabeça dos outros. Explico…

    Fiz 6 anos de ballet quando criança, parei com uns 12 anos, pq achava que não me encaixava ali. Sabe a gordinha da turma, meio desajeitada, que erra tudo? o/ A vontade de voltar logo veio, mais aí vem a máxima de “o tempo já passou”. me imaginar de novo numa sala, cheia de crianças (ballet adulto não existia pra mim), de colant, espelho… afe, de jeito nenhum!! Além da gordinha desajeitada, ia agora ser a que não percebe que sua hora já passou.

    Ano passado, aos 22 anos, numa conversa de bar, admiti meio envergonhada que tinha muita vontade de voltar a dançar ballet. E qual a minha surpresa, qdo ao invés de narizes tprcidos, meus amigos me olharam e disseram: “e pq não? volta!”. Me justifiquei falando da idade, peso, etc etc. Mas para eles era ridiculo eu me privar de algo que desejava por causa dessas “besteiras”: “vc quer mesmo voltar a dançar? então não pensa no que os outros vão falar ou na imagem q vc tem de vc mesma. Simplesmente volte, corra atras”. E eles não desistiram até eu marcar minha aula experimental com a Tia Ká. Como agradeço a eles!!

    Apartir daí, tudo foi mágico… A questão é se permitir ser feliz! E eu não imaginava o quão feliz eu podia ser, com uma simples atitude. Para todos os obstáculos que eu tinha me colocado (e que talvez ainda não tenham desaparecido por completo), há uma solução…

    – Eu tenho coxas grossas, será que eu consigo?!
    Eu teimo com a Tia que a minha é mais grossa que a dela (rsrsrsr). Com o tempo, a gente aprende que o problema tá é na nossa cabeça. Tô aos poucos vencendo meus grilos e minha vergonha e já me permiti usar sainha curta na aula… 😉

    5. Eu to acima do peso e sou muito baixinha… será?!
    Claro que sim!! É tudo uma questão de trabalho. Baixinha eu não sou, pelo contrário sou grandona mesmo (pra cima e por lados… rsrsrs). Fácil não é, mas não acho que deve ser mto diferente pras magrinhas. E o mais legal? Seu corpo muda com o ballet, sério mesmo. Não emagreci (ainda!), mas já vejo um corpo diferente no espelho agora depois de 6 meses. Cintura mais fina, postura que ajuda a disfarçar as “banhinhas” (umbigo na garganta!!)… ainda há mto o que fazer, mas pelo menos não acho mais que bailarina tem que ser esquelética pra ser bonita e boa. E uma das melhores coisas é aprender a lidar com sua imagem e aprender a se gostar mais!!

    Não consigo mais me imaginar sem o ballet, sem esse momento só meu comigo mesma! Sem o contato com essas Mulheres (com M maiúsculo) incríveis que venceram seus próprios medos, alguns iguais aos meus, e que me ensinam muito a cada dia!

    1. Será que dá tempo?!
    SIM!!! Sempre há tempo pra se correr atras dos sonhos e batalhar pra realizá-los. Não deixe as suas “nóias” e principalmente “pré-conceitos” te impedirem. Os sonhos estão aí pra serem realizados.

    2. Mas vai demorar muito?!
    Nada cai do céu, no ballet não ia ser diferente (e eita arte difícil!!), é preciso trabalho e dedicação. Cada um tem seu tempo, que nada tem a ver necessariamente com idade ou tipo físico. Pra mim, especificamente, as pontas vieram rápido (em 1 mês de aula), mas outros movimentos continuam não saindo de jeito nenhum, o negócio é não desistir nunca. Mas principalmente é preciso dar o primeiro passo. Isso é que não pode demorar!!

    Venha sentir isso também!! Se dê o direito de ser feliz!!

    (nossa, falei demais, né? espero ter ajudado…)

  8. Aline Pedra

    Karen, ler este post me fez ficar muito emocionada e os meus olhos marejaram quando vi a foto da turma de ballet adulto no “Sonhe”.
    Eu, como você sabe, fiz uma cirurgia na coluna que me deixou fora da dança quando era adolescente, depois de anos de prática (comecei aos 6 e esta cirurgia foi aos 13 anos). Enquanto a preocupação da minha mãe era a minha recuperação, a minha era “quando vou poder voltar a dançar?”. Eu nem pensava se isso era possível, para mim era possível e pronto, porque eu era apaixonada pela dança. Quando o médico me liberou, depois de 1 ano de recuperação, foi um daqueles momentos inesquecíveis da vida… Voltei, treinei muito mesmo dentro da nova realidade do meu corpo (sem cambret, por exemplo). No final do ano, minha mãe “quase me matou” depois da apresentação porque não tinha noção do que eu fazia nas aulas! Minha professora na época me colocou em evidência no palco, pois eu morava numa cidade pequena (Teresópolis) e acredito que ela queria mesmo mostrar a todos que É POSSÍVEL SIM. Depois acabei parando de dançar porque vieram novas funções da vida, vestibular, faculdade, enfim, “virei adulta” e outras prioridades me afastaram da dança (como acontece com a grande maioria de nós, que paramos um dia).
    Hoje voltei a dançar porque estou buscando mais prazer na vida. E tenho consciência de que, além de toda a limitação que a cirurgia me trouxe, tenho outra limitação que se chama idade. Hoje tenho 32 anos, faz 17 anos que parei de dançar! Mas, honestamente, quando pensei em voltar, não pensei “será que dá?”. Amo demais a dança para o SE entrar no meio. Eu sei que vou chegar novamente à ponta e sei que vou dançar lindo no palco no final do ano. Simplesmente vou. Se depender do meu esforço, vou!
    Gostei de você na primeira vez que te vi (fazendo as suas próprias unhas na salinha logo depois da recepção, mas com uma postura lindíssima! rsrss) – super simples e simpática. Estou muito muito feliz mesmo por ter voltado a dançar, principalmente com esta profissional incrível que você é.
    A mensagem que eu queria deixar aqui para todos é a mesma que a sua: se você tem vontade, faça. Não fique no SE. Simplesmente É POSSÍVEL! É só querer: eu sou um exemplo vivo disso.

    • BalletAdultoKR

      Aline linda…!!!

      Obrigada por estar aqui comigo realizando seu sonho, e a cada dia mais bela!!!
      Me emocionei também!!!

      Beijokas Iluminadas e saiba que será muito bem cuidada e tecnicamente orientada!!!

      Tia Ká

  9. Rew

    Com 17 anos eu acordei e pensei: qro usar pontas! E fui fazer ballet. Comecei a refletir sobre o ‘ridiculo’ quando me via aprendendo, toda tortinha, perninha 15º acima do solo, uma lerdeza pra decorar as barras…meu deus! E minhas colegas de sala, bailarinas desde o ventre da mãe aparentemente, com pernão, 4 piruetas na ponta….mas foi legal. pq dai eu fui me forçando, correndo atras, me machucando um pouquinho…Já aceitei que eu nunca vou ser uma bailarina como as meninas q eu conheci q dançavam todos os dias desde os 3 anos…eu tenho limites, mas q não me impedem de dançar! Mas eu ultrapassei MUITOS limites que achei que existiam. Sempre dá tempo, é só não ficar pensando muito! Se dar o direito de sentir mais e ficar pensando sobre oq os outros vão achar de menos!

    • BalletAdultoKR

      Vc Rew? É bailarina nata!

      Lindíssima, e eu nõa vou deixra vc desistir. vc é boa e ponto final e vai ficar cada dia melhor.
      Aceitou meu desafio e ele virou seu. Bora correr atrás.

      te amo.

  10. Denise Ilha

    Tia Ká!
    Comecei a fazer ballet contigo, há um ano, com 28 anos de idade. Antes disso, foram mais de 20 anos em que as pessoas me olhavam e respondiam, apenas com o olhar, a minha pergunta “Será que eu ainda posso dançar ballet?”. A resposta era sempre a mesma: “Não, não dá tempo de você começar a dançar ballet”. E como tudo que se repete muito, acabamos acreditando que aquilo é verdade.
    Até que um dia alguém quebra aquele paradigma e lá estamos nós, dançando!
    Eu passei a vida toda acreditando que eu nunca subiria numa ponta, que eu nunca usaria um tutu, que eu nunca seria uma bailarina. Mas ainda bem que eu estava ERRADA!
    Claro que nós, seres humanos inseguros, sempre nos perguntamos se vamos conseguir mais, nunca estamos contentes. Hoje mesmo me pego questionando se vou conseguir fazer aquela barra complicada, se vou acertar uma pirueta, mas daí eu paro e penso: olha onde eu cheguei! Por que não?
    Talvez eu demore mais que minhas colegas, mas não quer dizer que eu não vá conseguir.
    Acho que se a gente acreditar que consegue, é o primeiro passo para conseguir de verdade! E todo o resto é besteira!
    Obrigada por tudo, maestra!

    • BalletAdultoKR

      Denise Ilha – orgulho meu!!!

      Folego de triatleta!!! Acreditou, ficou, progrediu, progride, e esta mais linda ainda nas pontas. Venceu o desafio de troca-las e está arrasando cada dia mais no contriole do físico de tõa perfeito tão difícil!!!

      Parabéns De!!! Obrigada!!!

      te amo amor meu!!!

  11. Anita

    Outro dia, a Vivian escreveu no Face: “Meu corpo diz não, minha cabeça diz sim”. Eu pensei e retuquei pra ela: Ainda bem que não é o contrário!
    O fato é que a cabeça manda no corpo. E o corpo a gente muda e no ballet, faz o que quiser com ele, o céu é o limite. A ƒé faz toda a diferença. Fé em nós mesmas, fé em quem nos ensina com amor. Fé na pirueta. Fé nas amizades. Tenho aprendido a ter isso. Às vezes é mais fácil ser baixinha e estar fora do peso, do que não ter ânimo nem para sair da cama. É isso, meninas! Fé em Deus e pé na sapatilha.

    amo vc Ka. Bigadu.

  12. Iara Nóbrega

    Que a vida se tece de sonhos, é bem verdade, e que ao olhar pra trás vejo apenas um caminho que desejei trilhar, e que simplesmente desviei, é bem verdade também. E hoje percebo que ser uma bailarina foi o único sonho que morou dentro de mim de verdade, e eu deixei se esvair pelos ares, porque não soube ter coragem, determinação, ou capacidade de enfrentar os meus medos para tornar um grande sonho, realidade. Paro para analisar minha vida, e vejo que não tenho grandes coisas de que me orgulhar, ou dizer que conquistei, que esse mérito é meu, e dói. O único sonho que tive, eu não realizei, e quando penso em voltar atrás, sinto como se fosse meio tarde pra me tornar o que sempre desejei. Não me recordo um dia que não tenha me perguntado: Por que saí das aulas de Ballet? Daí eu analiso o rumo que minha vida vem tomando, e é como se sempre me faltasse algo, é como se sempre me faltasse a dança, porque sim, eu sou humana, também tenho VONTADES. Eu tenho vontade de ser Médica, e talvez se Deus permitir, eu realize, eu quero cuidar de pessoas doentes, quero ter carinho e zelo por elas, é como se eu quisesse amenizar tudo aquilo que as pessoas sentem, é como se minha maior vontade fosse querer roubar um sorriso de alguém doente, mesmo que por alguns segundos, mas que o motivo desse sorriso rápido e instantâneo seja EU, meu desejo é fazer as pessoas ficarem curadas, e esse desejo é enorme. Mas vejam bem, eu não falo em sonho, eu falo de vontade, desejo… E sonho, ah, o sonho vai mais além do que tudo isso, só que é tão difícil que as pessoas compreendam o que eu sinto aqui dentro. É como se eu quisesse tratar doentes a todo tempo, e esquecesse de uma ferida aberta à tantos anos dentro de mim, que tem nome científico de angústia, arrependimento, remorso, mas é popularmente conhecida como dor interior. O meu passado é submerso, encharcado, e são olhos que lacrimejam por ter jogado fora uma chance, avistado um caminho, e ter desviado dele, optado por um caminho mais fácil, sem o Ballet, sem as dores físicas que eram diárias, mas com a dor que me acompanha á tempos, e que talvez seja mais forte do que muitas dores por aí.
    Eu sei que só tenho 19 anos, e que sou muito nova ainda, mas daí eu penso que os grandes sonhos de um dia dançar na Bolshoi, ou ir dançar em Joinville talvez eu não realize de fato, e me vejo arrependida novamente de ter parado. Sei o quanto a dança significa pra cada um de vocês, então se vocês começaram, não parem, porque o mais importante é dar o primeiro passo. E se são gordinhas, baixinhas, o que for, não desistam, assistam esse vídeo e vejam se ela não foi capaz de encantar vocês, assim como encantou os jurados, pensem que vocês podem estar no lugar dela um dia.

    Lindas e leves, mesmo com todo peso, uma bailarina sabe flutuar na emoção.

    “E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.” (Nietzsche)

    • BalletAdultoKR

      Iaraaaaaaaaaaaaaaaaa…

      ela é belíssima, junto com seu texto…. a arte escolhe as pessoas…”Lindas e leves, mesmo com todo peso, uma bailarina sabe flutuar na emoção.”

      “E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.” (Nietzsche)…

      E a gente escolhe ser feliz e realizar nossos sonhos independente do que nos dizem…
      Importa aquilo que nosso mais intimo diz… E se alguém chegou até este blog, até este comentário… é por lá dentro está dizendo vem realizar seus sonhos…

      UM beijo Iluminado Iara!!!

      Tia Ká

  13. Querida Karen, mais uma vez estou aqui encantada, maravilhada, até mesmo admirada com o que escreves. Muito coração , muita inteligencia e sensibilidade. Muita reflexão, muita troca, muita verdade. Privilegiados somos nós quando acessamos teu blog. Os comentários são ricos, as pessoas demonstram sua alma . Enfim esta conexão abrange tudo.O corpo de dança está lindo !!! É bem diferente do que acontece na classe que frequento onde muitas tem mais de cinquenta anos sem nunca terem feito ballet. Outras fazem a mesma aula embora com menos idade e com maiores condições fisicas apenas para terem uma atividade fisica mais inspiradora.
    Quando penso que se eu fosse pensar nas limitações jamais teria tentado entrar nesta classe, então sinto o quanto é bom ter gente que sabe uma arte e acredita nas pessoas , em seu potencial e com isso desenvolve um trabalho digno e inovador. Este ano farei 64 anos, mas nem acredito que seja isto tudo, porque dentro de mim e em meu corpo o sinal desta idade passou a ser muito menor. A bailarina dentro de mim que estava adormecida reviveu minha vida e por isso tudo tenho maior admiração por pessoas como Karen e Diego ( meu professor). Agradeço por existirem, porque não é só para mim, mas para muitas pessoas que poderemos dizer o valor de acreditar em um sonho.
    Certo que muitas não serão bailarinas profissionais, mas terão a alegria de entender seu corpo, suas emoções, suas complexas motivações e viverão melhor
    KARENNNNNNN um beijo iluminado para ti
    rosa

    • BalletAdultoKR

      Rosa linda!!!!

      Eu tenho poucas alunas acima de 50 anos, infelizmente, ainda não sei onde elas estão… Mas se você já me encontrou hei de ser encontrada pelas paulistas com mais de 50… acho que a mulher urbana demais passa a umas “noias” diferentes, ainda mais quando chega nesta idade!
      Mas Obrigada por tudo que me escreves… Eu gostaria muito de conhecer Diego!
      Muito mesmo!!!

      Beijos iluminados amor meu!!!

      Tia Ká

  14. Sempre haverá tempo para o que amamos. Abdicar de tudo que pulsa em sua essência é perder-se, e as limitações só podem ser impostas por nós mesmos. Com o passar do tempo, passamos a nos questionar sobre o que foi colocado de lado (mas não esquecido) e a possibilidade de resgatarmos nossos eternos desejos. Tenho 32 anos e comecei a dançar aos 3. Parei, voltei, parei. Fui estudar, trabalhar, morar fora. Fiz teatro para me reencontrar e, quando me distanciei novamente dos palcos, adoeci (psicologicamente). No ano passado, na minha lista de “promessas da virada do ano”, embuti: “Estudar o que eu realmente amo: arte!”. Comecei a minha pós-graduação em Linguagens da Arte, coisa “supernadaaver” com a minha formação em Hotelaria. Daí, para mergular no ballet novamente, e na possibilidade de resgatar as pontas, foi um pulinho! Sabem coisas providenciais? Pois foi exatamente isso que aconteceu: uma grande amiga, Camila Zamith, postou uma foto sua lindíssima, dançando, no FB. Eu, encantada e nostálgica, elogiei. Ela me perguntou: “Por que vc não volta, Mi?”. Então vem a famosa hesitação… Ela me recomendou o Ballet Adulto KR, me add ao grupo. A receptividade da Ká (Ribeiro), ao responder prontamente (e amorosamente) as minhas mensagens, o comprometimento e o respeito pelo trabalho que ela executa, foram a forças motoras que me impulsionaram. Na minha primeira aula, senti a ausência do que sobrava no passado: condicionamento e preparo físico (hei de recuperar!). Mas, muito mais do que isso, senti a presença do que me faltava no passado, e que a maturidade me proporcionou: a certeza de que podemos realizar qualquer coisa que nos propusermos de coração. E a plenitude que essa vivência nos proporciona vai do primeiro fio de cabelo até os dedos dos pés (na pontinha!).

    Há uma frase que diz:

    “Você bloqueia seu sonho quando permite que seu medo fique maior do que a sua fé.”

    Think about!

    Um beijo grande e obrigada por tudo,

    Mirelli

    PS: Minha Gaynor chegou ontem! 😀

    • BalletAdultoKR

      “Mas, muito mais do que isso, senti a presença do que me faltava no passado, e que a maturidade me proporcionou: a certeza de que podemos realizar qualquer coisa que nos propusermos de coração. E a plenitude que essa vivência nos proporciona vai do primeiro fio de cabelo até os dedos dos pés (na pontinha!).

      Há uma frase que diz:

      “Você bloqueia seu sonho quando permite que seu medo fique maior do que a sua fé.” ”

      Mirelli linda, e é lindo o quanto evolui… o quanto se distancia de si para conseguir ir além de seu físico cansado…
      Vou cuidar de você e de seu aprendizado para que a arte te cure para todo o sempre!!!!

      te amo amor meu!!! e PONTITASSSSSSSS!!! úhúúúúúúú’!!!

      Um grande e iluminado beijo,

      Tia Ká

  15. Iara Nóbrega

    aaaaaaaaaaaaaah, que coreografia linda, parecem bailarinas natas. http://www.youtube.com/watch?v=hO53uzaQBTA http://www.youtube.com/watch?v=jkqj30ZjdYU
    Daí nós tiramos o quanto você é uma boa professora. Estou bisbilhotando todos os seus vídeos no youtube. haushusa

    • BalletAdultoKR

      Iara… obrigada este vídeo tá legal e elas tiveram pouquíssimos dias de ensaios…
      Quanto mais evoluimos no ballet e digo que também passo por isso como professora, nõa estou pronta estou sempre estudando e buscando o olmelhor para meus alunos e minha escola de ballet clássico para adultos… possibilidades dançantes sem abndonar jamais a essencia tecnica e teorica do ballet e sem perde a doçura jamais!!!!

      Obrigada meu anjo (busque pelo meu nome que tem muuuitas outras!!!! hihihi)

      Beijokas!!!

  16. Andréia

    Faz três semanas que tentei tirar todos esses “Será que dá…” da minha cabeça e comecei a fazer ballet, pela primeira vez na vida, as 24 anos. Passei por diversos “Será que dá…”, sou baixinha, sou gordinha, não tenho mais 5 anos… mas comecei a fazer não para ser a primeira bailarina do Teatro Municipal, comecei a fazer porque acho simplesmente linda a postura de uma bailarina, tenho verdadeira paixão pela beleza de uma sapatilha de ponta (apesar de nunca ter colocado uma).
    Minha mãe me colocou para fazer jazz aos 8 anos, pois de acordo com suas palavras, eu não era “delicada o suficiente” para fazer ballet. Perdi um tempão com isso, mas agora, 16 anos depois, muitas preocupações, muitos quilos e muito mais enferrujada, lá vou eu! E eu adoro as aulas, apesar de achar que vou demorar 50 anos pra chegar numa ponta, ou fazer piruetas…
    Esse post me emocionou bastante, me peguei com o olho cheio d’água pensando no que vai ser daqui pra frente, será que vai dar certo?
    Tia Ká, não te conheço ainda, só faço aulas de manhã, mas a sua história de vida me fez acreditar que um dia eu chego lá. Sou sua fã! Hehehe…

    Beijos!
    Andréia

    • BalletAdultoKR

      Deia querida!!! Amanhã vc vai me conhecer!!!!

      E posso te garantir que vc vai chegar bem logo nas suas aspirações!!!
      Obrigada!!! e bora!!!! amanhã eu estarei nas alas do Tio Carlos com vocês!!!

      beijokas!!!

  17. Sammya Freitas

    Claro que dá! depois de muitos anos, voltei…dura ainda e aos poucos, relembrando o que aprendi long time ago! mas o que me fez voltar de verdade, depois de muitos anos foi algo que eu nunca perdi: o amor à arte….porque eu achei que podia ignorar a dança e tinha crescido e que não podia mais dançar, afinal já tenho 28 anos e não tenho tempo, nem idade pra essas coisas, certo?!….errado!!! pois eu resolvi ouvir meu coração e como a gente atrai mesmo as coisas, fui parar nas aulas da tia Ká, que é assim que espero chamá-la por muito tempo!!! rs…

    beijos e espero que muitas possam voltar ou mesmo começar!!!

    • BalletAdultoKR

      Sammya Linda!!!

      E vc mesma está percebendo no seu corpo o quão rápido ele evolui certo??? PARABÉNS!!!
      E espero que seja por muito muito muito tempo minha pupila!!!

      beijo grande!!!

      “Tia Ká”

  18. Mi

    Ká,
    Demorei pra comentar, pois demorei pra entender…
    Outro dia cheguei mais cedo na escola – e nesse dia eu estava bem desanimada – aí fiquei assistindo a aula da turma das 19h. E então caiu uma ficha gigante: percebi que eu era uma privilegiada por poder estar ali e ser sua aluna. Fiquei olhando as meninas, e me emocionei várias vezes. Comecei a reparar na concentração, na dedicação, nas expressões, nos corpos e movimentos, e tive que me segurar pra não chorar, pois é muito, muito bonito. Senti orgulho delas, e de mim por fazer parte daquilo. Naquele dia eu estava pra baixo, duvidando de mim e achando que eu não tinha bom senso por querer me dedicar ao ballet com a minha idade. E quando vi as meninas, foi um “tapa na cara”. Pedi desculpas mentalmente para vc e para elas, pois foi como se, duvidando de mim, eu estivesse duvidando delas tb. Essas coisas são tão malucas, não adianta querer explicar, e muitas que são suas alunas mais antigas já sabem! Mas quando vc abre os olhos e enxerga, é sensacional! Achei aquela aula a mais bonita de todas, vc disse coisas incríveis (e deu medo porque parecia que era pra mim, pois sem querer vc respondeu tantas perguntas que estavam na minha cabeça), mas acho que muitas aulas são bonitas como aquela e eu é que não sabia ver.
    Hoje caiu a segunda ficha: eu achava que tinha, mas não tinha a noção da dimensão do seu trabalho. Espero que todas as suas alunas e futuras alunas percebam o amor e a força que movem tudo isso, como eu percebi hoje.
    E saiba que vc me inspira. (Ispirar, do latim inspirare, significa “soprar vida em outro”).
    Vou responder as perguntas lançadas no seu post com a minha opinião, mas com um desejo imenso que esses paradigmas que envolvem o ballet sejam logo quebrados (e vc é muito importante pois está na linha de frente deste processo), para que esta etapa seja superada e as pessoas parem de achar estranho, absurdo ou impossível um adulto se tornar bailarino.
    1. Será que dá tempo?!
    SIM!
    2. Mas vai demorar muito?!
    Depende da dedicação, como tudo na vida. Mas se por acaso vc só puder fazer uma aula na semana e a evolução demorar, é melhor que não fazer nenhuma aula, não ter evolução nenhuma e se lamentar depois por não ter tentado! Então comece logo! 🙂
    3. Eu tenho coxas grossas, será que eu consigo?!
    SIM!
    4. Eu sou muito alta e magra demais… consigo?!
    SIM!
    5. EU to acima do peso e sou muito baixinha… será?!
    SIM!

    Ká, pra encerrar, um texto que acho que tem tudo a ver com vc, e pra gente sempre se lembrar quando bater a síndrome da vítima ou a tentação de nos apequenarmos. Que vc continue abrindo caminhos e inspirando muita gente.

    “Nosso receio mais profundo não é o da inadequação. Nosso receio mais profundo é o de sermos poderosos além da conta. É a nossa luz, não nossa escuridão, o que mais nos apavora. Perguntamos a nós próprios, quem sou eu para ser brilhante, maravilhoso, talentoso, fabuloso? Na verdade, por que não sê-lo? Somos filhos de Deus. Fingir sermos pequenos não serve ao mundo. Não é nada iluminador encolher-se para que outras pessoas não se sintam inseguras à sua volta. Todos fomos feitos para brilhar, como as crianças. Nascemos para manifestar a glória de Deus que há em nós. Não em apenas alguns de nós, mas em todos nós. E se deixamos que nossa própria luz brilhe, inconscientemente estamos dando permissão a outras pessoas para fazerem o mesmo. Quando nos liberamos de nossos medos, nossa presença automaticamente liberta outros.”
    (Marianne Williamson)

    Torço muito por vc. E muito obrigada!
    Bjs,

    Mi

    • BalletAdultoKR

      Todo dia que eu acordo de novo vem uma sensação unica de vontade de viver.
      Por poder proporcionar um pouquinho disso tudo que você disse acima… se tantas e tantas vezes não me permitiram desistir desse trabalho é porque a cada dia vejo mulheres e homens felizes por terem encontrado um lugar onde a arte do ensino do ballet clássico é levado a sério.

      Vocês me permitem crescer diariamente. Desde o dia em que comecei a dar aulas: com 4 amigos. Hoje somos bem mais de uma centena… é porque eu falo aquilo que eu também sinto… as vezes me desanimo, mas nãoooooooo! Tudo na vida demora e é difícil!!! QUando eu falo é porque estou sentindo… às vezes falo para mim também…

      Hoje na aula da Maestra, minha aula de ser bailarina, eu senti o quanto GOSTO, AMO, ser professora… sou bailarina para vocês: para lembrar todo dia como é trabalhar um corpo que não nasceu pronto… para lembrar como é complicado a cabeça compreender e o corpo não responder… para lembrar como é bom conseguir fazer uma coisinha que pode parecer pequenininha mas que é uma delícia!!! Para lembrar que tem dia que nada dá certo, que nada sai direito… Mas que isso também faz parte pois a perfeição é apenas uma busca e não um estado, e como busca ela acontece diariamente…

      Você e este seu post me emocionou muito Mi!!! Muito muito muito! Obrigada!

      Que estejamos sempre no caminho de nossas buscas e felicidades… afinal ser bailarina profissional mesmo quem começou adulta TEM COMO.

      Beijo iluminadíssimo!!!

      • Gizela

        Karen,

        Venho pesquisando na internet sobre ballet para que eu possa conhecer um pouco mais sobre essa dança que nunca me interessou quando criança.

        Você é a primeira pessoa que eu encontro dizendo que é possível ser bailarina profissional mesmo começando depois de adulta!

        Não tenho esse objetivo porque nem comecei as aulas ainda, então, não sei se vou gostar. Mas, sei que, se eu gostar, vou querer aprender tudo o que posso!

        Fico triste por você não ser aqui de Niterói (hehe). Espero que eu tenha uma professora tão dedicada e sensível quanto você.

        Beijos =*

      • BalletAdultoKR

        GI!!!!

        LInda, obrigada!!!

        quando a gente ama o que faz e o faz com toda sua dedicação tudo fica muito melhor!!!!

        beijo grande e vem pra SP para nos conehcermos pessoalmente!!! beijo beijo beijo

  19. Iara Nóbrega

    Achei esse comentário no Blog da Bolshoi, e tive que vir compartilhar, espero que toque a vocês, como me tocou!

    Meus limites, vossos limites!
    Por muito tempo tentei impor limites para o meu corpo. Caí na mesma idéia corrupta de “não posso fazer nada, eu nasci assim”, mas nem mesmo sabia que para ser limitada não dependia de fatores adversos e sim de um único ser limitante, no caso, eu mesma.
    Quem me intitulou sem en dehors, sem linhas, baixo/alta demais, fora do peso, sem expressão, sem postura, sem ritmo… Se não eu mesma?
    O maior desafio para o atleta não é superar seus limites físicos e sim os mentais. A verdade é que só quebramos essas barreiras externas quando amamos quem realmente somos e acreditamos no que fazemos. Pois nosso corpo é uma máquina perfeita, capaz de obedecer a qualquer comando idealizado. Sei que não é nada fácil exigir mais dele, é um trabalho árduo e demorado, mas como dizia o poeta: “Não sei logo mais o que desejar, pois já tenho em mim a parte desejada”.

    Quando desejamos algo o primeiro passo é ter convicção de que somos capazes, é superar lutas interiores e ter o desejo de alcançar o pedido, pois a melhor parte da obra não é tê-la pronta, mas conhecer as dificuldades do processo pelo qual ela esteve para chegar a um produto final. Assim damos muito mais valor à obra. Porém é preciso ter maturidade e responsabilidade para descobrir até que ponto podemos alcançar, sem desfavorecer o nosso trabalho, precisamos ter conhecimento do que o “físico fala” sem a interferência da “fala mental”.
    Limite é uma decisão pessoal que só existe para ser quebrado.
    Aluna Raiza Aguiar de Andrade.
    “O caminho dos preguiçosos é cheio de obstáculos, ao passo que o do diligente não tem quaisquer embaraços,” Benjamin Franklin.

    Quando assisti a este vídeo confesso que fiquei chocada comigo mesma. Vê-lo de uma sentimental e não técnica me trouxe a idéia de um corpo sem limites. O fato da moça não ter um braço e o rapaz não ter uma perna deixa a dança ainda mais bonita e expressiva, pois eles souberam aproveitar aquilo que para nós – seres mortais limitantes – seria o motivo de pensar que não somos capazes, que a nossa “deficiência” física não nos deixa dançar!
    Foi através destes bailarinos que descobri que nossos limites somos nós quem traçamos. Podemos ser um corpo que emociona independente de qualquer fator.
    Basta querermos! (Raiza Aguiar de Andrade – Aluna da Bolshoi)

    • BalletAdultoKR

      Iaraaaaaaaaa…

      que lindo!!! Perfeito, e nem precisava chegar no tocante do video, mas belo também!!!!

      Parabénssss!!! e OBRIGADA!!!!

      Tia Ká

  20. Iara Nóbrega

    Não esqueçam de assistir ao vídeo que ela comenta acima.

  21. Danielle Alves

    Olá, encontrei seu blog navegando atrás de material sobre Ballet adulto. Sou Fonoaudióloga e passei minha adolescência fazendo jazz por que tinha vergonha de ousar um ballet devido a minha altura e volume dos meus seios.(baixinha e peitão). Formei, casei, filhos, e engordando parei e pensei: “tenho que ir para academia”. Mas não gosto de malhação, ambiente das gostosonas! Foi quando ousei iniciar no ballet.E aos 32 comecei a dançar. Fiz como mandava o figurino: Collant, meia-calça, sainha e sapatilha. Tudo que tinha direito. Hoje com 33, encontro-me numa nova escola de dança, onde tem quase 10 alunas adultas. Aqui no RJ não conheço muitos espaços de dança que tenham esse foco. Muito menos formação na fase adulta. Minha professora é mais jovem do que eu. Mas tem uma postura maravilhosa. Sua aula é linda!!!!!
    Respondendo suas perguntas, do meu ponto de vista:
    1) Será que dá tempo? Com toda certeza!!
    2) Mais vai demorar muito? Menos do que se iniciar amanhã.
    3) Eu tenho coxas grossas, será que consigo? Elas ficam melhores ainda, quando fortificadas com os exercícios.
    4) Sou muito alta e magra de mais, consigo? Acredito que sim. Sou o oposto e estou conseguindo.
    5) Estou acima do peso e sou baixinha: Essa sou eu. Com 1,54cm e 58kg. Estou trabalhando para conseguir emagrecer. É tão difícil, mas não impossível!!
    Hoje posso dizer que após um dia exastivo de trabalho, correria de filhos na escola e cuidados com casa e marido, as terças e quintas é quando respiro, fazendo minhas aulas de ballet. É meu oxigênio!!!!
    beijos e agora que achei esse blog vou te seguir……

    • BalletAdultoKR

      Oi Dani!!!

      Deculpa eu demorar tanto para responder seu post, mas é a correria de mais uma conquista para nós adultas!!!
      Somos quase da mesma altura, vc aidna é mais alta (ou menos baixa) rs que eu…. tenho 1,52…
      Amei esta resposta:

      “2) Mais vai demorar muito? Menos do que se iniciar amanhã.” – arrasou!

      E o dia em que vier à São Paulo já sabe né???? Visita ilustre!!!!

      beijokas iluminadas!!!

      Tia Ká

  22. Marília

    Oi!!
    São super famosas suas aulas sim, suas alunas tem o poder de me deixar com inveja!! =)
    Quando tiver suas aulas nas férias vou sim, com certeza!

    Bj

  23. Bárbara

    Olá Karen, tenho 16 anos, nunca fiz algum tipo de dança ou esporte, me considero uma adolescente pouco monótona, frágil, desatenta, molenga. Ultimamente tenho repensando muito na vida que levo e as oportunidades que tenho, não sei te dizer o porquê ou como, de uma forma tão repentina, me deparei navegando horas na internet pesquisando sobre Ballet Clássico. Sempre dizia, desde a infância, quando via algumas de minhas coleguinhas indo fazer Ballet, que isso era uma coisa de patricinhas, uma coisa chata, inútil e cara. Hoje percebo o quanto eu é quem fui inútil, afinal era uma criança, não fazia idéia do que era arte, faria qualquer coisa para poder voltar no tempo e ter feito Ballet desde os três anos, isso é impossível, claro, mas graças a você, Karen, descobri que o que não é impossível é começar a fazer Ballet com a idade que for. Se não fosse por este Blog, você e suas palavras eu ainda acharia que Ballet é algo dificílimo, algo totalmente diferente do meu mundo, algo que só pertence ao mundo de garotas magras, ricas e lindas. Eu sinto Karen, que essa coisa estranha e repentina de querer conhecer o Ballet e sentir que “ele quer de mim” também, não é algo por acaso, sinto que preciso fazer isso e o querer dentro de mim é grande. Eu não sei nada sobre Ballet e sua história, nunca dancei, nunca soube dançar, nem sequer em uma festa, seja de casamento ou aniversário de amigos, o que eu sei é quero aprender a dançar Ballet, quero fazer parte desta arte, é algo lindo, sei que é difícil, que requer muito treino e desempenho, mas estou disposta a encarar tudo isso, quero superar cada obstáculo, quero ver meus familiares me aplaudindo, quero viver para o Ballet e sei que atravéz disto eu posso aprender muitas outras coisas e quem sabe me tornar uma bailarina profissional e ser como a você, Karen, contando a todos o quanto isso é bom, que não é impossível, incentivando e contagiando as pessoas. É por isso tudo que te agradeço, agradeço por manter este blog, agradeço por ser você, exatamente como você é. Eu não te conheço, não sei nada sobre você, mas eu sei que você é do bem e eu sinto o teu carinho em cada palavra postada aqui. Por favor, me mande por e-mail todos os detalhes do curso, horários e mensalidade, que roupas eu devo usar, quando começar, em fim. Obrigada Karen, estou ansiosa para este novo passo da minha vida!.

  24. Dry

    Olá Karen querida estou aqui de novo pra fazer mais um comentário nesse blog lindooooooo…
    Bom, faz um tempo que, por causa de algumas situações na escola onde estudo, eu estava sem nenhuma vontade de continuar no ballet! O fato é que minha professora não pensa como você (com relação à aulas para adultos) e muita coisa que ela diz machuca, doí mesmo!!!E também tem a questão de “favoritismos”, nós sabemos que nunca vamos ser iguais às meninas que entraram no ballet com 3 anos de idade e nunca mais saíram!Só sei que ela, como professora, deveria tratar TODAS por igual e incentivar ao invés de “machucar”, “levantar” ao invés de “derrubar”…Enfim, o fato é que ao entrar no blog eu me deparo com a seguinte pergunta: “SERÁ QUE AINDA DÁ TEMPO?” depois de pensar muito eu comecei a ver que nada do que ela disser vai fazer mudar o que sinto, EU AMO O BALLET, AMO A DANÇA! e vou lutar para que apesar das “rasteiras”, apesar do coração ferido eu vou conseguir mostrar para ela que apesar da idade, peso, altura eu consigo!Posso não ser a melhor bailarina do mundo, mas vou lutar pelo meu sonho, e voltar a usar a minha sapatilha de ponta que ela privou de usa-la!!

    Bjos Tia Karen e PARABÉNS por ser esse exemplo para tantas bailarinas!!!
    Te amo msm sem te conhecer(o q gostaria muito)hehe!!!!!

    • BalletAdultoKR

      Dry!!! Obrigada,

      Obrigada pela oportunidade que você me deu de ajuda-la a transformar suas lágrimas em suor e dua dor em força para continuar.
      Muita gente acha que não é possível porque muitas vezes não foi possível para essas pessoas independente do que fizeram…
      Supere a você mesma todos os dias… Se ponha metas mensais nem que seja esticar mais o pé, trabalhar mais o en dehors, deixar seu tendu mais belo e trabalhado seu jetè mais forte e controlado… é de pequena que nos tornamos grandes…

      Obeigada DRy, e eu também amo você minha pupila virtual!!!

      bjokas iluminadas,

      Tia Ká

  25. Kelly Pessolato

    Bem, será que ainda dá tempo? Acho que eu posso responder essa pergunta… Voltei ao ballet em agosto no ano passado, depois de muitos anos e essa possibilidade era absolutamente remota na minha cabeça. Mas, quando minha colega Lilian disse que estava fazendo ballet para adultos eu fiquei muito interessada, mas perguntei adultos de quantos anos? E como ela sabia a minha idade, disse: “ah de todas as idades”. Eu criei coragem e fui. Achei que faria as aulas apenas para trabalhar meu corpo, me mexer um pouco com uma atividade que eu tenho tanto prazer. Mas, para a Karen não existem limites, ela agendou aula com o maestro Boris Storojkov, participação espetáculo no final de ano, sapatilha de ponta e vem mais por aí. Cada vez que ela vem com uma novidade eu penso, bem acho que não é para mim, passei dessa fase. Mas, ela age com tanta naturalidade que eu acredito e vou em frente. Meu pai já me disse mais de uma vez: “por que você não faz dança de salão?” Ele não fala por mal, mas acho que no fundo ele acha que não dá mais tempo pra mim. Eu estou fazendo o que gosto, sempre gostei e me sinto feliz, satisfeita, e é o que importa. Sempre agradeço a Karen por acreditar nesse projeto e por eu poder fazer parte dele. Que legal, né? Se alguém tiver dúvida fale comigo, acabei de fazer 42 anos e nas aulas me sinto uma menina, a mesma que deixou o ballet há muitos anos, apesar das minhas dificuldades técnicas e tudo mais. Todas as alunas são ótimas e fofas e fazem a gente se sentir super bem. E a idade está na cabeça, posso dizer isso com certeza. Sempre dá tempo para tudo, é só querer, sei que é difícil acreditar, mas é a sensação é ótima.

    • BalletAdultoKR

      Kelly, sempre digo talentosíssima… nunca acredito que vc já tem 42 anos, pois acho que para mim os numero pararam de ter significado…

      Talento + suor = Kelly!

      Parabéns pela sua estréia nas pontas!!! Belíssima…

      E obrigada agora eu acho que você me traduziu para mim é natural… Ta vindo aula com a maestra Natalia Zemtchenkova!!!!

      PARABÉNS E OBRIGADA POR FAZER PARTE DISSO TUDO E dar a cada dia mais formato real aos nossos sonhos!!!

      beijokas iluminadas!!!

  26. Amanda

    Karen,

    Tenho 16 anos e nunca dei muita bola pro balé. Fiz quando tinha 10 anos mas parei por preguiça, n tinha me interessado. Aí agora to aqui, no terceiro colegial sem ter ideia do que prestar, pra onde eu vou, se eu fico aqui ou se eu mudo de cidade pra fazer faculdade. E sei lá, foi tao de repente que eu descobri que quero pq quero fazer balé. Foi tipo, apaixonei! aiuahsdiusha Mas minha cidade é pequena e n tem academia de balé aqui, aí o jeito seria eu mudar de cidade o ano que vem se eu quiser dançar. É possivel eu me tornar bailarina profissional, mesmo começando aos 16/17?
    E quantas aulas vc dá por turma? 2, 3x na semana? Segunda a sexta? *-* Sou sedentária, n pratico esporte nenhum, n vou na academia, n faço nada x_x Sei que vc sempre responde perguntas de gente querendo saber se dá tempo, mas a minha insegurança é mais forte do que eu iohuasdiushad

    • BalletAdultoKR

      Amanda vou te mandar tudo por e-mail tá????

      Beijokas iluminadas amor meu!!!

      • Amanda

        Tia Ká (rs)
        O email aparece aí pra vc, né? é que se vc já mandou, aqui não chegou nada 😦 as vezes tem coisa que nao chega, aí eu fico perdida x_x
        num dá pra mandar aqui mesmo? XD brigada e desculpa a chatice ❤

      • BalletAdultoKR

        Magina meu amor!!!

        Amanda querida!
        Lógico que dá tempo! E para sua surpresa a maioria das grandes bailarinas não são patricinhas… mas o ballet trabalha o feminino de uma forma sofisticada e com requinte, daí talvez essa percepção!
        Mas eu não aconselho faculdade de dança. Para ser bailarina clássica você precisa fazer ballet clássico. A faculdade de dança te prepara para ser pesquisadora em dança…

        Eu dou aulas todos os dias da semana com excessão de domingos… e tenho planos de aulas de 1 a 6x semana… mas para quem quer fazer mais eu faço planos de aulas particulares + aulas em grupo para acelerar o processo de aprendizagem e limpeza técnica!

        Ajudei?!

        Grande e iluminado beijo,

        Tia Kä

  27. Dani Valala

    Vi as fotos!!!

    Olá Ká!!! Tudo bem ?!! Amei as fotinhos que vc postou, mas confesso que vendo todas com carinho, percebi o quão distante é a minha realidade dessa arte tão linda, o ballet.

    Não estou me fazendo de vítima, mas veja bem, estou numa crise de fibro a mais de um mês, mal consigo fazer as coisas de casa, e, ao ver as fotos, penso que realmente ficarei na primeira fila admirando…

    … espero poder melhorar em breve, pois mesmo sem fazer as aulas gostaria de te conhecer e parabenizar pessoalmente por esse trabalho tão lindo e especial: manter os sonhos vivos sempre!!!

    Abraços Fraternos e Beijos com carinho!!

    Dani Valala.

    • BalletAdultoKR

      Que lindo Dani!!!

      Respira fundo… a dor da fibromialgia é desencadeada por processos descontrolados que muitas vezes nós mesmas fazemos manifestar…
      Leia “Self Healing” do Meir Schneider… acho que pode te ajudar… Leia e ponha em prática, claro!!!

      As fotos que você viu foi fruto de menos de um ano de trabalho para a maioria que estava ali! Parece distante pois o ensino foi dado com muita qualidade… e principalmente absorvido e trabalhado por cada bailarino com mais qualidade ainda!

      Você consegue, mas precisará de um pouco mais que vontade… coragem! Sai da plateia e torne-se bailarina!!!

      beijo grande meu amor!!!

  28. giovanna

    Olá Karen,
    Td bem? Não moro em SP,mas se morasse com certeza iria querer danças em sua escola! FIz ballet durante minha infancia e parte da minha adolescencia e por ‘besteira’ eu parei, o que hj me arrependo MUITO. Há 1 ano e meio ( mais ou menos) voltei pro Ballet e estou fazendo uma aula para adultos, que é somente 2x por semana e pra mim, mesmo com trabalho, faculdade, eu acho pouco, pq acho q tenho potencial e queria desenvolver, evoluir mais rápido. Aí, consegui uma turma (com a ajuda da minha ex professora) na minha mesma academia de dança, só q as meninas são menores, só que muitoo boas..rsrs. Enfim, eu não me incomodo de fazer aulas com alunas muito mais novas que eu não, mas quando vejo o q uma menina de 15 anos faz (e faz muito melhor que eu), me desanimo. Foi o que aconteceu na aula de ontem quando fomos fazer um exercício na diagonal.Nossa, queria chorar!!
    Mas ao mesmo tempo, eu sei q tenho q ir no meu tempo e é impressionante o alongamento q eu tenho (até hj e que voltou rapidamente). Só que de vez em quando, dá um desanimo e apergunta: Será que devo continuar mesmo???
    Queria saber sua opinião. Admiro mtooo o blog e o q vc faz.
    Um grande beijo de sua admiradora virtual (rs),
    Giovanna Lasmar

    • BalletAdultoKR

      Olá Giovanna querida!

      Até nós bailarinos profissionais naqueles dias em que nada dá certo pensamos “porque insistimos?!”…. Mas deve continuar sim!!!
      Mas lembre-se que a arte jamais deve ser competitiva, e se você está vendo sua colega mais nova com mais facilidade procure estudar o corpo dela, ver qual o trabalho que ela está fazendo muscular para ter aquele desempenho. Não se diminua, mas engrandeça seu trabalho até mesmo com o engrandecimento do trabalho do outro!
      Grande parte de minhas alunas no processo de profissionalização DEVEM ASSISTIR aulas. Dessas aulas elas devem tirar correções para si próprias… aprender a calar e usar o erro ou o acerto do amigo como aprendizado próprio…

      Nõa é a idade que faz você ser melhor ou pior em desempenho… é o treino, ou até mesmo a facilidade, porém o treino sempre sempre sempre que nos diferencia e nos engrandece… às vezes o que nõa entendemos no nosso corpo ao ver sendo realizado no corpo do outro possibilita compreenssões unicas de transformação…

      AJUDEI???? Pelo menos é assim que eu penso… e tento fazer no meu dia a dia, e por isso que como professora e como bailarina também continuo trilhando um contínuo caminho de crescimento….

      Quando vier a são Paulo venha nos visitar!!!!!!!!!

      Um grande beijo aluna virtual!!!!!

      beijokas Tia Ká

  29. Dan

    Todos os dias me pergunto as mesmas coisas e todos os dias eu lembro da Tia Ka nos falando: “esquece o tempo e dança”.
    Descobri que não importa se vou dançar profissionalmente, mas importa que eu expanda minha alma além da minha pele.
    Com a tia Ka eu descobri que pode sim ser mais feliz do que cabe no corpo.
    Amo o Ballet e ela tem toda a culpa disso!

  30. Viviane

    Ká… fui sua aluna na Carla (por pouco tempo), vc logo saiu de lá… Ganhei as minhas pontas de vc.. e vou guardá-las pra sempre!!
    Ainda não consegui subir nelas, rsss, mas sei que um dia conseguirei, gostaria muitissimo de fazer as suas aulas, sempre leio o seu blog, o que me estimula cada vez mais as minhas aulas de ballet, mas infelizmente por causa do meu trabalho não consigo chegar até ai…. estou em Sto Amaro.. é uma pena, nem na Carla vou mais.
    Mesmo assim vou continuar te admirando, seguindo o seu blog e ganhando cada dia mais forças pra continuar nas aulas, apesar dos meus 37 anos (quase 38) e de ter começado o ballet com 34, rsss. Eu sempre digo que comecei tarde, mas nunca é tarde pra se começar!!!!!
    grande beijo e saudades minha ídola….

    • BalletAdultoKR

      Olá VIvi querida!!!! que lindo… obrigada imensamente… idola! que chic!!! Que responsabilidade!!!

      Obrigada do fundo do coração!!! E espero que assim que você conseguir um emprego BEMMMMM maneiro na Paulista (vc gosta? rs) e possa logo vir fazer aulinhas aqui com a gente!!!

      Beijo grande iluminado!!!

  31. Geovanna

    Oiie , eu tenho 15 anos , faço jazz há 6 meses , e eu decidi que quero fazer aulas de ballet , mas algumas pessoas dizem que eu sou velha pra começar balé agora , ai eu não sei , me responde pelo meu email : você acha que eu deveria começar aulas de ballet ? agradeço desde já :*

  32. Beatriz

    Olá… eu tenho 18 anos, e danço na igreja tem 3 anos, minha lider e prof de ed. física, então sempre fazemos exercícios de alongamento, pilates e essas coisas, mais nunca fiz ballet. Eu quero começar a fazer aulas e preciso de algumas orientações será que vc poderia me ajudar?

  33. Bia

    Oi Ka, as aulas de ballet são maravilhosas, agora sei pq é uma apaixonada por essa arte, rs.
    Mas as aulas de ballet, pelo menos aqui no Rio, estão muito caras… e eu acho que não vou ter como continuar pagando. Você sabe onde são ou como acho instituições municipais ou da prefeitura por aqui. Eu ia perguntar para a minha professora, mas ia ficar meeega chat, né? rs
    Se puder me ajudar, muito obrigada =)
    Grande beeeeeijo.

    PS: quando leio seus textos, seu amor pelos seus alunos e pelo ballet, da vontade de ir correndo pra SP ter aulas *-*
    rs

    • BalletAdultoKR

      Ohhhh Bia que linda… o qbrigada, asism que conseguir de uma escapada aqui!!! Nós vamos amar!!!

      Eu não sei informar sobre as instituições de ballet municipais ou gratuitas no Rio, porém acho que seria super interessante você procurar o pessoal do Sindicato da Dança do Rio. Eles são super acessíveis e uma coordenação excelente sobre o que acontece no Rio em relação ao ballet!Mas nõa fique sem graça em se abrir para sua professora quem sabe ela não pode dar uma forcinha para dar continuidade ao seu sonho…?!

      beijo grande amor meu!

  34. Gizela

    Olá, Karen!

    Sou de Niterói, tenho 24 anos e pretendo começas as aulas de balé em breve! Nunca dancei nada na vida!

    Nunca nem passou pela minha cabeça que coxa grossa poderia atrapalhar. Não me incomodo nem um pouco com minhas pernas e acho ótimo que elas sejam grossas. Mas, isso poderia atrapalhar de alguma forma (não que eu vá desistir por causa disso)?

    Além disso, tenho pé chato (coisa feia). Você acha que isso poderia prejudicar meu desempenho, atrasar minha evolução?

    Obrigada!

  35. Gizela

    Ah, Karen!

    Será que você conhece alguma escola de balé aqui em Niterói (RJ) pra indicar?

    Beijos

  36. Eu penso que os sonhos são complementos de outros sonhos. O ballet já era coisa do passado pra mim mas ao me ver diante dele novamente, vi que alguns dos meus sonhos não foram realizados por não ter terminado esse sonho de ser bailarina. Hoje, aos 31 anos voltei a fazer ballet, e estou construindo esse sonhos para que eu alcance outros dentro de mim. Será que eu consigo? Claro que sim, todos conseguimos, só depende de disposição, perseverança e determinação. Tenho coxas grossa? SIM! E ainda estou no caminho de que forma posso fazer com que elas me ajudem a brilhar no final do caminho. Estou com uns quilos extras e já estou providenciando para que sejam abandonados… E é isso aí!!!! Uma amiga me indicou o seu blog e eu simplesmente amei, esse post deveria ser dado a todas as bailarinas e a todos que querem construir os seus sonhos. Parabéns por conseguir mexer com a o nosso psicológico de uma forma tão positiva ! Beijos!
    Será muito bem vinda ao meu blog se desejar fazer uma visitinha, e assim, ficaria honrada.

  37. Poliana Pinto Teixeira

    Oi Ana! gostaria de saber se tem alguma escola que você indique em campinas… obrigada!

  38. Mara Lúcia De Carvalho Araújo De Sá e Menezes

    Querida parabénssssssssssssss pelo seu trabalho,estou encantada com tudo,pena que só te conheci agora bjssssssssssssssss

  39. Mara Lúcia De Carvalho Araújo De Sá e Menezes

    Querida estou encantada com seu trabalho,parabénsssssssssssssss que pena ter conhecido você só agora….. mas acho que ainda da tempo de fazermos algo juntas,afinal vou precisar mesmo de você porque estou mais do que enferrujada bjssssssssssssssss e fique com Deus

    • BalletAdultoKR

      Mara, nunca é tarde para buscarmos nossos sonhos e transforma-los em realidade!!!

      Estou te esperando!!!

      beijos grandes!!!

      Karen Ribeiro

  40. Olá.
    Mi chamo Isabella e meu sonho é ser uma bailarina,sempre admirei todo tipo de dança mais especialmente o ballet,sabe quando seu coração bate tão forte que parece que vai explodir! assim que eu mi sinto quando eu vejo e sinto dança.Eu poderia ficar horas falando sobre minha paixão pela dança.
    mais tenho receio de começar a praticar ballet, pois tenho 12 anos 1,65 e humilhantes 93 quilos (+ ou – distribuídos) e queria saber se eu deveria me começar ou não ?pois tenho medo que as pessoas riam de mim, meu peso mi atrapalharia ?devo esquecer esse meu sonho? espero ansiosa por sua resposta.

    beijos da Bella

    Amei o site,você esta de parabéns.

  41. FranMiciano

    Ká do céu!
    Conheci seu blog hj..
    Eu tenho 20 anos, e comecei com 18 mais ou menos, ao entrar na universidade, mas toda época de provas a gente tem que parar. O que significa mais ou menos 2 meses sem treinar NADA!
    Eu estudo nutrição e sou ABSOLUTAMENTE apaixonada pelo ballet, faz bem pra mim, além de físico, e olha que eu quero ser especialista em esporte \o
    Adorei suas palavras como professora de adultos, aaah se tivessemos tecnicos como vc em todos os cantos!!
    O meu problema não é peso, não é altura, não é pé…é tempo pra investir!tempo mesmo, horas..enquanto a escola não volta, tenho que me preparar em casa.
    Meu nome é FranMiciano 😉
    ADorei os posts!

    • BalletAdultoKR

      Fran!!!

      Que bom!!! Grande encontros!!!
      Quando precisar de mim, de nós estarei por aqui!!!

      beijos amor meu!!!

      e bora arranjar esse tõa precioso tempo!!!

  42. Forca de Vontade/ Competicao/ Dificuldades

    Eu estou nos Estados Unidos numa escola de Ballet, depois de muitos anos sem dancar, e o sonho de entrar em uma faculdade de medicina em Pennsylvania ter ido pelo ralo abaixo, eu resolvi voltar, pois se eu nao tentar novamente agora, nao vou tentar mais, pois sei que vou me ocupar com outras coisas. Enfim, nao esta sendo nada facil, quando eu era mais nova, dancar era muito melhor, eu era praticamente um passaro voando, tinha um peso de uma pena, nao tinha dificuldades para executar os exercicios, nao tinha contas para pagar e assim vai. Quando entrei nesta escola, fui toda empolgada, e sai da aula direto pra casa, chorando aos prantos, desesperada, ate ataque de panico eu tive.

    A competicao aqui eu nao tenho nem como definir de tao grande que e, na minha sala de aula todas as bailarinas sao profissionais, quase todas tem menos de 17 anos de idade, qualquer uma delas que vc for conversar..a resposta e a mesma: comecaram a dancar desde os 3 anos de idade ou por ai.., desde que nasceram a vida delas e o ballet, tem corpo de bailarina, movimentos perfeitos… Nao e o meu caso. Eu estou ha anos sem me cuidar, ja passei por inumeras cirurgias e problemas de saude, eai de repente eu me joguei numa escola de ballet, eu nem sei como e porque diabos eu fui aceita, mas tudo bem.

    Na minha escola a coisa mais dificil que tem e fazer amizades, eu ja desisti. A competicao e tao grande que falta todas as bailarinas comecarem a se matar , as aulas sao com bailarinos famosos e aquela coisa toda cheia de “fru fru”, e realmente se eles veem alguem com talento eles chamam pra cia. entao por causa disso e todo mundo se engolindo na sala de aula, e horrivel. Risadinhas ali e aqui, no comeco eu nao ficava ate a aula acabar, pois nao eu aguentava a pressao das meninas fazendo gracinhas, o professor me olhando com deprezo, ja sai da aula uma vez para vomitar (de tao nervosa que eu estava!), foi uma merda. Depois eu fui aprendendo mais a lidar com isto, mas ja teve aula que eu fiz, com lagrimas caindo do rosto( a aula toda) , mas mesmo assim fiquei, aqui ninguem ta nem ai se vc esta morrendo(pode ta roxa na aula que o professor nem liga), ninguem nem me perguntou pq eu estava chorando, ate achei melhor assim. E muito, muito, muito dificil no comeco, eu ainda estou passando por algumas dificuldades, mas agora eu simplesmente entro na aula, e eu fico tao, mas tao focada que se tem alguem falando de mim, fazendo comentario escroto, eu nem vejo, eu ja melhorei MUITO, inclusive ja estou passando na frente de algumas garotas insuportaveis, tenho 7 aulas por dia, cada aula uma hora e meia, tambem inclui aula de alongamento e outros modos de danca, mas como minha prioridade e o ballet classico, entao sao as aulas que eu mais frequento. Eu pretendo me tornar profissional. Encontrei uma professora que esta interessada em me dar aulas particulares, vou embarcar nessa tambem. O que quero dizer resumindo, e que nada na vida e facil, eu estou “comendo o pao que o diabo amassou”, ainda estou longe de estar em forma, mas eu chego la. O meu professor de ballet me odeia, eu falo “Oi” e ele nem responde, me olha com desprezo e so conversa com as bailarinas mais novas e que dancam melhor do que eu. Quer saber? Vai este monte de bailarina esnobe e insuportavel a merda junto com este professor, ate pq eu em apenas 4 meses ja estou conseguindo ultrapassar bailarinas que dancam praticamente desde que aprenderam a andar, entao eu sei de que uma coisa ja esta provada (nao so pra mim, mas para qualquer um): Forca de vontade, foco e determinacao e respeito a si mesmo e o que vai te levantar e fazer voce crescer. Voce respirar fundo, se acalmar, e se concentrar nos seus movimentos e musculos, nos todos nos julgamos e isto e natural, mas acho que tentar pelo menos uma parte do dia parar um pouco, e bom, e o que eu faco nas aulas de ballet classico, eu parei de ficar pensando como eu era leve, como eu era isto e aquilo, e simplesmente respiro fundo e faco o que tenho que fazer e foi isto que me fez ultrapassar algumas bailarinas, so aqui um trecho de alguem que nao esta mais em seus 20 aninhos, ja passei por umas cirurgias, mas estou batalhando muito. Eu estou 20 Kg acima do meu peso normal, ja perdi 10 kg (comendo saudavelmente com acompanhamento de uma nutricionista e um medico), 7 aulas por dia de segunda a domingo (isso mesmo), as vezes eu tenho vontade de dar um soco no meu professor e nas bailarinas da minha sala (eles merecem), mas eu nao posso, entao eu me concentro na minha respiracao, eu penso no meu oxigenio circulando por todas as partes do meu corpo, principalmente meus musculos, eu ja passei por muitas humilhacoes nas aulas de ballet aqui, mas como eu ja disse antes: entra por um ouvido e sai pelo outro, o importante e estar la, e eu uso como exemplo as minhas inimigas que dancam bem, sao elas quem eu copio durante minha aula, ate porque eu preciso de bons exemplos a seguir, entao eu olho para quem danca bem, ta aqui um exemplo de que a vida nos traz inimigos, nao e somente para nos encher o “saco”, mas para voce saber como tirar algo bom de alguma coisa ruim. Tambem aprendi outra coisa muito importante que eu vejo em quase todas as bailarinas da minha escola: todas parecem um robo, movimento e tecnica perfeitos, mas a maioria nao sente a musica, nao transmite nenhuma emocao, e isto e essencial. Na minha opiniao vc pode ser magra, ter a estrutura de bailarina, tecnica, alongamento, mas se voce nao sentir a musica e corpo, nao tem danca, nao tem graca, e somente algo opaco e seco, entao, se voce tem amor a danca, esta otimo, o resto voce adquiri com o tempo, afinal nada vai acontecer da noite para o dia, tudo na vida precisa de um trabalho duro e suado e muita paciencia. Ja teve professor que viu minha cicatriz (de uma das cirurgias que eu tive) e disse: Voce sabe que com esta cicatriz voce nao pode dancar, ne? Nao entendi “bulufas”, e ele completou dizendo que a pele e musculo de onde a cicatriz se localiza limitam meus movimentos um pouco, de novo: entrou por um ouvido e saiu pelo outro e ainda respondi que eu tenho um medico e nao preciso da opiniao dele sobre o meu corpo. Comprei um dicionario de ballet, todos os dias dou uma lida, assisto ballet quase todos os dias, estou trabalhando duro e sei que uma hora isto vai ter um resultado, entao meu conselho e que se vc ama danca qualquer tipo) va, se jogue, quando chegar em casa voce chora que e para botar toda a raiva e angustia pra fora, mas no dia seguinte voce acorda e va firme e forte, e cada dia que vai passando e menos pior, acredite, eu estou passando por isto. E eu sei que um dia as bailarinas que estao rindo de mim agora, vao chorar quando perceberem que eu estou dancando muito melhor do que elas. Ciclo da vida, e assim que funciona. Boa sorte! So achei que seria interessante dividir isto.

    • Que pena que você não disse seu nome…
      Que situação difícil essa que você vive…
      Mas que força e que coragem e é isso que te faz seguir em frente vivendo e crescendo, e se transformando em quem você quer ser.
      Parabéns pela coragem e pela determinação.
      É assim que mudamos nosso entorno!

      Um grande beijo,

      Karen Ribeiro

Deixe uma resposta para Lia Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s