Arquivo do mês: junho 2011

Um pouquinho de mim por Mia Lopes!


 

Estou um pouco ansiosa. Pouco pode ser considerado diminutivo, rs.

Vamos dançar no Festival Dança Paraty, como conjunto clássico profissional (por causa da idade de nossas bailarinas nõa podemos nos inscrever como amadores, a idade limite para amadores é 18 anos,rs)… Ou seja adulto que começa ou faz ballet não é amador mesmo!

Alunas com 1ano de estudos em ballet clássico vestirão suas pontas e figurinos, abrirão o sorriso despretencioso de quem está indo dançar por que gosta e faz bem feito. Não estamos indo pela competição apenas para nós mesmos, para o publico que virá que é possível levar a sério e ser muito bem feito independente da idade e outros “tabus” do ballet clássico.

Nesses ultimos dias provoquei choros espontâneos, da mistura do MEU EU TO INDO, CARA TA DANDO CERTO, PUTA MERDA – EU TO LÁ. Cara é sério mesmo… , com o medo de errar, com o medo de decepcionar, com o medo de sustentar tamanha conquista.

Provoquei o choro para troca-lo pela alegria e leveza que vemos todos os dias em sala de aula.

JULIANA LOYOLA

KELLY PESSOLATO

CAROLINA SHIRAIVA

PAULA BAMBINO

FÁBIO SANTOS

VIVIAN PEREIRA

JIOVANA WUO

MARIANA LESSA

Parabéns. Parabéns por enfrentarem seus medos, irem além de seus sonhos! Aceitarem o desafio de estar sempre se superando. Saibam que hoje vocês representam um monte de mulheres e homens que estão buscando realizar seus sonhos na arte do ballet clássico! Parabéns!!!

E nessas idas e vindas aparecem anjinhos para me fazerem acalmar e respirar fundo… um desses foi a Mia Lopes que fez um ensaio nõa programado maravilhoso de algumas horinhas de trabalho do meu dia…

 

beijo grande, Ká RIbeiro

 

meus pés...!!!

 

11 Comentários

Arquivado em A DANÇA: BALLET CLÁSSICO SEMPRE!, Diário de uma professora de BALLET CLÁSSICO PARA ADULTOS...

Um homenagem a quem me inspira…


Uma breve homenagem, pois às vezes é muito importante pararmos com a correria do dia a dia e fazer um carinho em quem amamos…

“Estrelas novas aquecem, estrelas antigas iluminam. Porém isso é para quem está próximo às estrelas. Para qualquer um as estrelas iluminam, mesmo depois de morrerem.

A luz de uma estrela perpetua para todo o sempre.

Não há quem não ache belo, ou mesmo use dessa luz, mesmo que seja para namorar numa noite estrelada…

Mas há aqueles que se negam a acreditar na pura essência de uma estrela. PLaneta não vira estrela… estrela nasce estrela. Para esses que se negam caberá a ignorância. Apenas.

A estrela não opta por iluminar. Seu dom é iluminar, mesmo para aqueles que não reconhecem…

A estrela prima pela pureza de sua natureza: aquecer, brilhar, iluminar, contar história (cada estrela leva em si a história do universo). E a ela jamais caberá escolher a quem iluminar, aquecer ou a dar brilho…

Ela é simplesmente uma estrela…

Ana Esmeralda, minha sempre estrela maior!”

Ana Esmeralda, Karen Ribeiro e a sombra da foto, minha Mãe Dorinha!

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized