Musculação e Ballet Clássico – a favor ou contra?


Olá pessoal!

Muitas pessoas me perguntam, se existe algum problema, em fazer musculação e ballet. Pois, algumas vezes, a musculação é indicada para “fortalecimento do joelho”, “prevenção da osteoporose”, e outros. (leia até o final!)

Vou dizer o que eu acho, a partir da minha vivência, não apenas como bailarina, bem como terapeuta ocupacional e professora.

A musculação, sugere ao corpo, o trabalho de isometria mediante a contração muscular dos grandes músculos. Usam-se aparelhos e pesos extras que, a partir de repetições aumentam o volume da fibra muscular e diminuem o tamanho. Potencializando os grandes músculos. Para ambos os casos que citei acima, protegem de fora para dentro, as grandes articulações e a estabilidade do esqueleto.

O ballet clássico, sugere ao corpo, trabalhar as fibras musculares mais próximas do esqueleto. Através de uma isometria de alongamento das fibras. Um trabalho que requer consciência do movimento, isolando o uso dos grandes músculos, e buscando a estabilidade das grandes articulações, e, do esqueleto, de dentro para fora.

Um trabalho que misture as duas atividades, sem consciência de uma e de outra, traz um “anulamento” (fisicamente falando) do trabalho muscular proposto no ballet. Ou seja, a pessoa tende a usar a grande musculatura para executar os exercicios propostos pelo ballet, o que é contraproducente.

Vou usar dois exemplos para explicar o “meu”ponta de vista. O primeiro será de uma mulher na casa dos 30 sem problemas articulares. O segundo será uma mulher na casa dos 40 com problemas articulares.

Caso 1.

Mulher, 30 e poucos anos, gosta de correr, tanto na esteira, quanto na rua. É indicado a ela musculação de fortalecimento para que os treinos de corrida sejam seguros para suas articulações. Correto.

A mesma mulher recomeçou a fazer ballet. No primeiro exercício de aquecimento, sem direcionar propositadamente os musculos corretos, e buscando acertar ou concluir com êxito (= até o final), o caminho mais rápido que o corpo encontra para executar o movimento é usar a grande musculatura, o que já faz normalmente.

Como ela corre na rua, o que sugere caminho irregulares que fazem o pé estar sempre em busca de um equilíbrio, as grandes articulações precisam estar protegidas rapidamente para que não haja desgaste das mesmas em virtude da busca constante, que durante o movimento em piso irregular, o corpo precisa fazer para buscar estabilidade. Ou seja se ela não fizer um trabalho de rápido resultado, durante suas corridas ela poderá ter lesões sérias em pequeno e médio prazo.

Daí ela vem para o ballet, e automaticamente ela usa essa grande musculatura para realizar os movimentos propostos. Neste momento ela, em auxilio com seu professor, precisarão parar e repensar de onde o movimento se origina. E buscar neutralizar a grande musculatura, já adaptada a ser a origem de movimento e proteção, para conseguir pensar com calma e sem pressa de resultados, nos movimentos que o ballet propõe.

Numa busca por resultados rápidos no ballet, a musculação é contraproducente. Numa busca consciente e sem pressa de resultados de formas e sim na busca da movimentação correta no ballet, os dois podem co-existir na qualidade de vida da bailarina!

Caso 2.

Mulher de 40 anos, com diagnóstico de condromalacea patelar e sobrepeso. A recomendação médica foi musculação de inicio imediato para fortalecimento da musculatura que envolve o joelho, a fim de evitar maior desgaste, e parar o ballet.

Neste caso a mulher não quer de jeito nenhum parar o ballet, e não quer de jeito nenhuma fazer musculação. Foi proposto a ela fora as duas vezes na semana que faz aulas de ballet e um dia na semana que se dedica a ensaiar, que ela fizesse aulas particulares de consciência do movimento e fortalecimento através da essência da movimentação preconizado no ballet. A idéia da aula particular era ter atenção voltada para ela exclusivamente, e para que ela não se sentisse pressionada a gerar resultados à vista, e sim resultados silenciosos, que gerariam fortalecimento para a estrutura do joelho, alongamento, e execução correta do movimento sem visar exclusivamente a forma.

Como ela é minha aluna, estamos seguindo com seriedade e baixa ansiedade a busca, estudando cada movimento, sua origem e seu propósito, como um todo, sem focar exclusivamente nas grandes musculaturas que protegeriam o joelho.

Já estamos com 1 mês de projeto. Ela associou natação no plano de exercício pela “ausencia” de atrito nos joelhos.

Ela não sente mais dor constante, e, sabe reconhecer o momento do movimento que ela deve repensar, quando “sente” o joelho.

O que quero dizer com casos tão diferentes e tão parecidos! E lembrando que não estou tocando no assunto referente a homens no ballet, e sim mulheres!

Se, você, quer fazer musculação e ballet precisa saber que: estará trabalhando a grande musculatura, a qual deverá ser isolada na movimentação sugerida pelo ballet clássico.

Se, você, não quer fazer musculação, mas precisaria para benefícios rápidos em prol da sua saúde articular, busque um professor que poderá te orientar e/ou trabalhe com muita consciência… Buscando a isometria do alongamento e não da contração.

Ou seja… tudo tem seu lado bom! Pelo menos do meu ponto de vista!

Espero que eu tenha ajudado você!!! Qualquer dúvida ou sugestão comente ou me envie um e-mail, que assim que possível eu responderei: balletadultokr@gmail.com

beijos, KR

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s